“EAU DE RHURBARBE ÉCARLATE

As Colónias Hermès, como já dissemos, contam sempre um diálogo, um jogo entre uma matéria e uma cor. Na actualidade, a família das Colónias cresceu e a sua história ficou mais rica.

Para Christine Nagel, criadora e perfumista da Maison Hermès, imaginar ou usar um perfume “é tocar no impalpável num gesto íntimo, é deixar vestígios que não mentem”.

Com o “Eau de rhubarbe écarlate”, criou uma frescura inédita e audaz, mais vegetal do que hesperídea. Mais texturizada, mais marcada, oferece uma sensação nova que reaviva a lembrança de um pé de ruibarbo que vamos cheirar no jardim antes de o colher. “Quando trabalhamos os caules de ruibarbo”, explica Christine Nagel, “quando reproduzimos gestos ancestrais e simples, o odor explode. Sempre adorei a dualidade do ruibarbo. É uma dualidade que abarca dois sentidos: a visão e o olfacto. A cor verde transforma-se em vermelho. Ácido e crocante, o seu odor torna-se suave, aveludado.”

Como um pintor ou um escultor insiste no pormenor de um objecto para o enaltecer, Christine Nagel, como perfumista livre para brincar com a matéria, escolheu valorizar algumas características olfactivas.

Para o “Eau de rhubarbe écarlate”, quis um ruibarbo carnal e delicado, sublimando-o até se cheirar um almíscar branco requintado. Vivo, louco, o gesto de se vaporizar com ele. Difunde a frescura e transmite, diria mesmo, uma prova.

 

Palavras-chave da “Eau de rhubarbe écarlate”

Frescura inédita

Verde e vermelho

Mordaz

Crocante e doce

Matéria em bruto

Suavidade do ruibarbo cozido

 

Neste momento, as leitoras da Moda & Moda já perceberam que amamos todo o universo da Hermès.

Fruto de um diálogo entre sensibilidade artística e “Know-how” artesanal, a Hermès afirma a sua própria interpretação do estilo Colónia com o Eau d’Orange Verte, Eau de pamplemousse rose, Eau de gentiane blanche, Eau de narcise bleu, Eau de mandarine ambrée e a partir de agora com o Eau de néroli doré e Eau de rhubarbe écarlate.

Com vaporizador ou não, oferecem a sua vivacidade radiante e privilegiam a generosidade do gesto.

As duas novas Colónias Hermès dispõel, cada uma de:

Frasco e vaporizador 200 ml.

Vaporizador 100 ml.

Vaporizador de viagem 15 ml

Bálsamo hidratante para rosto e corpo, Gel duche para corpo e cabelo, Gel mousse para mãos e corpo

Sabonete perfumado

HERMÈS

 

A História da mítica marca de topo francesa – Hermès – teve o seu início em 1837, quando Thierry Hermès, artesão seleiro, abriu uma oficina, em Paris. Vivia-se o 2º. Quartel do séc. XIX. Reinava Luís Filipe, proclamado pela Assembleia Nacional Francesa a 7 de Agosto de 1830 com ao apoio da alta burguesia.

Luís Filipe foi casado com Maria Amélia de Bourbon-Sicilias, a qual era filha do rei Fernando de Nápoles e de Maria Carolina de Áustria. O casal teve dez filhos (seis príncipes e quatro princesas).

O ano de 1837 foi pródigo em factos dignos de serem mencionados: a França e Abd-el-Kader assinaram o Tratado de Tafna, de grande relevância, após as enormes perdas das forças militares na Argélia; Louis Daguerre desenvolveu o daguerreótipo; nasceram dois pintores que são dignos de menção, Alphonse Legros e Carolus Duran. Ducos du Hauron tornou-se pioneiro da fotografia colorida. Outra personagem célebre que nasceu no ano da fundação da Hermès, em Paris, passou à história como compositor e organista - Theodore Dubois. Dir-se-ia que foi um ano de boa colheita.

Para quantos destes homens terá o Sr. Thierry Hermès trabalhado? Não seria difícil descobrir, desde que os arquivos das encomendas estejam bem catalogados…

Mas, foi mais de um século depois que a Hermès entrou na aventura olfactiva com o Eau d’ Hermès, criado por um fabuloso “nez” de seu nome Edmond Roudnitska, precisamente em 1951. Posteriormente, no sector da perfumaria, outros grandes mestres perfumistas foram contribuindo para o en“EAU DE RHURBARBE ÉCARLATE

 

As Colónias Hermès, como já dissemos, contam sempre um diálogo, um jogo entre uma matéria e uma cor. Na actualidade, a família das Colónias cresceu e a sua história ficou mais rica.

Para Christine Nagel, criadora e perfumista da Maison Hermès, imaginar ou usar um perfume “é tocar no impalpável num gesto íntimo, é deixar vestígios que não mentem”.

Com o “Eau de rhubarbe écarlate”, criou uma frescura inédita e audaz, mais vegetal do que hesperídea. Mais texturizada, mais marcada, oferece uma sensação nova que reaviva a lembrança de um pé de ruibarbo que vamos cheirar no jardim antes de o colher. “Quando trabalhamos os caules de ruibarbo”, explica Christine Nagel, “quando reproduzimos gestos ancestrais e simples, o odor explode. Sempre adorei a dualidade do ruibarbo. É uma dualidade que abarca dois sentidos: a visão e o olfacto. A cor verde transforma-se em vermelho. Ácido e crocante, o seu odor torna-se suave, aveludado.”

Como um pintor ou um escultor insiste no pormenor de um objecto para o enaltecer, Christine Nagel, como perfumista livre para brincar com a matéria, escolheu valorizar algumas características olfactivas.

Para o “Eau de rhubarbe écarlate”, quis um ruibarbo carnal e delicado, sublimando-o até se cheirar um almíscar branco requintado. Vivo, louco, o gesto de se vaporizar com ele. Difunde a frescura e transmite, diria mesmo, uma prova.

 

Palavras-chave da “Eau de rhubarbe écarlate”

Frescura inédita

Verde e vermelho

Mordaz

Crocante e doce

Matéria em bruto

Suavidade do ruibarbo cozido

 

Neste momento, as leitoras da Moda & Moda já perceberam que amamos todo o universo da Hermès.

Fruto de um diálogo entre sensibilidade artística e “Know-how” artesanal, a Hermès afirma a sua própria interpretação do estilo Colónia com o Eau d’Orange Verte, Eau de pamplemousse rose, Eau de gentiane blanche, Eau de narcise bleu, Eau de mandarine ambrée e a partir de agora com o Eau de néroli doré e Eau de rhubarbe écarlate.

Com vaporizador ou não, oferecem a sua vivacidade radiante e privilegiam a generosidade do gesto.

As duas novas Colónias Hermès dispõel, cada uma de:

Frasco e vaporizador 200 ml.

Vaporizador 100 ml.

Vaporizador de viagem 15 ml

Bálsamo hidratante para rosto e corpo, Gel duche para corpo e cabelo, Gel mousse para mãos e corpo

Sabonete perfumado

PERFUMANTES DE VERÃO NOVIDADES 2016

SO FIRST VAN CLEEF & ARPELS

 

O novo perfume da Van Cleef & Arpels – So FIRST - é a alma do FIRST, lançado em 1976, numa criação reinterpretada com graça e modernidade.

 

Nesta reinterpretação permanece a graciosidade do frasco original.


Destaca-se a delicada embalagem, com todo o requinte na textura cujo motivo “piqué” lhe transmite uma notável feminilidade e muita elegância.

O mais importante – a fragrância é irresistivelmente deliciosa: um “bouquet” resplandecente de pétalas de Jasmim e de flores de Frangipanne combinadas com notas aditivas de baunilha Bourbon intensa impregnada de Sândalo cremoso...

Notas de cabeça ou saída : Bergamota, Magnólia.


Notas de coração ou intermédias : Jasmim, Flores de Frangipannier.
Notas de fundo : Baunilha Bourbon, Sândalo.

 

De salientar que a Van Cleef & Arpels é uma marca de joalharia, cujo requinte e alta qualidade é reconhecida em todo o mundo. Apesar disso, a marca decidiu lançar-se, nos Anos 70, no mundo da perfumaria, sendo a primeira marca de prestígio a ousar tal experiência. Assim o primeiro perfume da Van Cleef & Arpels ousou chamar-se “FIRST”. E tinha razão. Era o primeiro. Estávamos no ano 1976, precisamente há 40 anos. Para celebrar este feito, então inédito na Alta Joalharia, a Van Cleef & Arpels decidiu revisitar a sua notável experiência e propor um novo perfume com o nome de SO FIRST. Uma boa reafirmação com a qual nos congratulamos.

O lançamento de Van Cleef & Arpels em perfumaria  

                 

Nos Anos 70, Pierre Arpels apaixona-se por uma ideia totalmente nova: criar o primeiro perfume de joalharia . Então, a ideia foi lançar «um perfume com o ar de uma preciosidade que se sente como uma jóia”. Este feito foi elaborado pelo talentoso perfumista Jean-Claude Ellena. Tratou-se então de um floral aldeído associado a um acordo frutal e fresco. First é um perfume que corresponde à imagem da marca. Encarna uma espécie de perfume-jóia requintada e sofisticada. Em resumo, simboliza a elegância associada à graça. A casa da criação viu nele novas formas de sublimar a beleza feminina. First tornou-se uma “parure”, simultaneamente invisível, mas muito presente. E nos 40 anos que separam o First deste “SO FIRST” já se fizeram alterações tendo sempre em conta as variantes da moda. Assim em 2004, foi lançado First Jasmin da China, além de algumas adaptações estivais nos verões entre 2002 e 2007, assim como a Eau de Parfum Intense em 2012, a Edição Blanche en 2013 ou, ainda, a de Edição Or em 2014.Agora, chegou a vez do SO FIRST aparecer no mercado com toda a carga interpretativa da modernidade numa criação mais luminosa que a do seu primogénito.

So First, uma essência absolutamente feminina

À imagem do seu antecessor, So First é um perfume de grande luminosidade, elegante e precioso. Foi criado pela perfumista Nathalie Lorson, a qual lhe conferiu um impulso particularmente fresco. Assim, So First é uma essência que no início se desenvolve sobre um cheiro marcado, mas doce, da bergamota. Este ingrediente, com um lado muito vivificante ajusta-se ao “éclat” suplementar deste perfume que na sua fórmula contém magnólia, uma planta conhecida pelo seu aspecto de acentos ligeiramente baunilhados e cítricos. Depois as notas de coração são particularmente femininas, conferidas pelas flores de frangipanne, as quais dispersam eflúvios florais que se confundem ligeiramente um pouco com a doçura de uma ilha paradisíaca. Esta flor, de grande nobreza, alia-se ao jasmim conhecido pelo seu lado “poudré”. As notas de fundo de So First, jogam com a sensualidade. Aqui, a doçura especiada da baunilha alia-se à envolvência da madeira de sândalo. Em resumo este perfume é, simultaneamente, quente e oriental. Mais ainda, prova a sua tenacidade. Em suma, So First honra o seu primogénito celebrando, ao mais alto nível, o seu 40º.Aniversário. A directora da Moda & Moda era “FIRST” e agora passa a ser “SO FIRST”Parte superior do formulárioParte inferior do formulário

DAVIDOFF EXOTIC SUMMER

COOL WATER WOMAN

Cool Water de Davidoff é um perfume Floral Aquático Feminino. Cool Water foi lançado em 1996. O perfumista que assina esta fragrância é Pierre Bourdon

As notas de topo são: Abacaxi, Marmelo, Cassis ou groselha preta, Lírio, Melão, Limão, Lótus e Calone; as notas de coração são : Mel, Espinheiro branco, Jasmim, Vitória Régia, Lírio-do-vale, Lótus e Rosa;as notas de fundo são : Amora, Raíz de violeta, Sândalo, Almíscar, Framboesa, Baunilha, Pêssego e Vétiver.

Muita fruta que nos apetece, muitas flores que amamos, muita vida para viver em amor.

Lançado em 1996,como acima escrevemos, o Cool Water de Davidoff  que este ano dá pelo sub nome de EXOTIC SUMMER é uma edição limitada. A marca tem a bonita idade de 20 anos. Uma idade linda para quem assemelha a sua vida ao cheiro puro da maresia dos Oceanos que banham as zonas tropicais onde as férias estão sempre na ordem do dia. Viva a vida! Viva o Davidoff Cool Water – Woman. Vivam os acordes dos Sete Mares que a boca oceânica beija com a intensidade da alegria espelhada no rosto.

TRUSSARDI DONNA

Da pureza à paixão

 

Ainda não se tinha entrado na década de 80 do séc. XX quando pisei os escritórios da casa Trussardi, disposta a pedir uma entrevista ao Sr. Nicola Trussardi. Fui atendida por uma jovem que, em defesa do seu patrão, quando lhe perguntei pelo Sr. Trussardi respondeu: não está. Expliquei-lhe o que pretendia e, de repente, surge diante de mim um homem de aspecto viril, de olhos claros, alourado, alto, aquilo que levaria qualquer “donna” a dire “che bello uomo”. É evidente que não gabei o Sr. Trussardi, mas ele, que era muito prático, disse-me, eu dou-lhe a entrevista agora mesmo, e quanto às fotos não se preocupe que lhe dou as que quiser do meu arquivo.

Durante os vários anos que participei como membro do Júri da Milano Collezione, encontrei-me sempre com o Sr. Nicola Trussardi. A sua casa de moda de vestuário nasceu de uma luvaria de alto luxo que foi criada pelo seu avô, já falecido à data em que nos encontrámos.

Das revelações que me fez, posteriormente, o que mais me impressionou foi a sua afirmação: já visto terra, mar e ar. E isso já estávamos quase nos finais dos Anos 80. Com efeito, fazia moda para mulheres e também para homens, foi o “designer” dos interiores de grandes barcos de recreio e foi o responsável pelos interiores dos aviões da Alitália.

Como pessoa, era divertido, giríssimo. Sofri muito no dia em que tomei conhecimento que morreu ao volante de “una bella macchina”. Quanto ele gostaria de, com esta fragrância, estar presente celebração do centenário da casa Trussardi – afinal um aroma que sintetiza a feminilidade, a sofisticação e o luxo que ele tanto amava.

Com uma pirâmide olfactiva de excelência, este perfume Trussardi – Donna conta com Yuzu, Cidra e Frutas de Água nas notas de saída; Flor de laranjeira, Chá de jasmim e Lírio aquático nas notas de coração ou intermédias; Patchouli branco, Cedro, Sândalo e Baunilha nas notas de fundo – aquelas que perduram todo o dia.

Está disponível em Eau de toilette e Eau de parfum de 30, 50 e 100 ml.

Para quem conheceu Nicola Trussardi, o homem que se viu a braços com montes de pelicas finas e com elas criou vestuário em pele para escoar a matéria-prima que lhe sobejava, até entrar na moda em tecidos da melhor qualidade, este perfume cristaliza a essência do branco precioso.

Há pessoas e perfumes que marcam para sempre a nossa memória. Ele vivia ao ritmo do trabalho e da festa. Era audaz, aventureiro, tinha uma classe única, aliás mesmo em grupo, por ter a generosidade à flor dos gestos, era sempre um génio.

FESTIVOS

Dia da Mãe

Natal

Páscoa

Dia do Pai

Santo António

ARTE

Exposições

Museus

Colecções

História

Notícias

MODA

Alta Costura

Prêt a Porter

Tendências

Acessórios

Notícias

BELEZA

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

NOTÍCIAS

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

  • Instagram ícone social
  • Twitter Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon