Verrocchio I Escultor e Pintor do Renascimento Italiano

A exposição” Verrocchio Escultor e Pintor do Renascimento Italiano”, inaugurada no dia 15 de Setembro de 2019 na National Gallery of Art, Washington é, sem dúvida, o grande acontecimento cultural de Outono/ Inverno, já que a mostra se mantém até a 12 de Janeiro de 2020 neste museu.

A mostra concentra-se exclusivamente em Verrocchio (cerca 1435-1488) e nos seus alunos, reunindo uma impressionante variedade de desenhos, esculturas e pinturas.

 

Verrocchio: Escultor e Pintor do Renascimento Italiano, é a primeira exposição monográfica nos Estados Unidos sobre Andrea del Verrocchio (cerca 1435-1488), um artista inovador, pintor, escultor e professor, cujos alunos incluíam Leonardo da Vinci, Pietro Perugino e provavelmente Sandro Botticelli. A mostra salienta a riqueza e a amplitude da extraordinária arte de Verrocchio, reunindo cerca de 50 das suas obras-primas em pintura, escultura e desenho que permitem aos visitantes apreciar como o seu trabalho em cada forma de arte estimulou a criatividade nas outras. Uma nova investigação sobre os materiais e técnicas de Verrocchio, oferecem inéditas revelações sobre as suas escolhas artísticas. Várias novas atribuições cuidadosamente discutidas em diferentes técnicas são propostas na exposição. 

Como escultor, Verrocchio foi uma das figuras mais importante na arte renascentista, realizando obras com técnicas sem precedentes apresentando um naturalismo e uma beleza sem precedentes. Como pintor, estabeleceu um elo directo entre o seu mestre, Fra Filippo Lippi, e o seu próprio aluno, Leonardo da Vinci. Como desenhista era uma figura central que explorava as novas técnicas e as funções do desenho e influenciou profundamente Leonardo, Rafael e outros. Como professor dirigiu um atelier que se tornou numa espécie de laboratório de experimentação e inovação e, ainda, influenciou os artistas do início do século XVI. Não é por acaso que, dos fundadores do Alto Renascimento - Leonardo, Miguel Angelo e Rafael – um, foi aluno de Verrocchio e os outros dois foram treinados por alunos de Verrocchio.

"Um 'homem renascentista, em todos os aspectos, Andrea del Verrocchio foi um artista pioneiro e versátil, cujos talentos se destacaram pelo seu brilho", disse Kaywin Feldman, director da National Gallery of Art. "Estamos gratos às instituições e colecionadores particulares, sem os quais esta exposição não seria possível. Verrocchio era um visionário", disse Andrew Butterfield, curador da exposição e especialista reconhecido internacionalmente pelo seu estudo sobre o artista. "Ele tinha uma imaginação inquieta e uma vontade incansável de experimentar e melhorar o que ele ou qualquer outra pessoa havia feito antes. Mas, Verrocchio também foi como um maestro de uma orquestra que poderia reunir muitos talentos e extrair o melhor deles. Isso foi um dos seus segredos como professor ".

A mostra foi organizada pela National Gallery of Art, Washington em colaboração com o Fondazione Palazzo Strozzi Florença e o Museo Nazionale del Bargello, Florença. 

 

Andrea del Verrocchio (cerca 1435-1488)

Verrocchio teve a sorte de nascer quando a família Medicis dominava a vida cultural de Florença, patrocinando a pintura, escultura e arquitetura que transformaram completamente a cidade. Treinado inicialmente como ourives, Verrocchio quando jovem também aprendeu a pintar e esculpir, provavelmente trabalhando com iluminuras como Fra Filippo Lippi, Desiderio de Settignano e Lorenzo Ghiberti e sua oficina. Quando Verrocchio tinha cerca de 30 anos, já se destacava como um grande mestre da escultura  e os Medicis começaram a confiar nele para realizar as esculturas de bronze mais importantes da cidade: primeiro, por volta de 1465, uma estátua de David com a Cabeça de Golias, feito como uma espécie de complemento ou rival do bronze anterior de Donatello sobre o mesmo assunto; e, em 1467, premiou Verrocchio como a comissão de escultura mais prestigiada do final do século XV, o grupo de bronze de Cristo e São Tomás para um nicho ao ar livre em Orsanmichele, a igreja  no centro de Florença. Levando 16 anos para ser concluída, a escultura foi inaugurada em 1483 e foi anunciada como "a obra mais bonita que existe". Nesses anos, Verrocchio também começou a fazer outras obras de arte célebres, entre elas o tumulo de Giovanni e Piero de Medicis (cerca 1469/1473), o monumento ao cardeal Niccolò Forteguerri (iniciado em 1476) e o notável monumento equestre a Bartolomeo Colleoni em Veneza (iniciado em 1479).

A pintura foi menos o seu foco principal, mas no entanto, ele também foi activo e inovador nesse campo. O seu trabalho mais conhecido é o Baptismo de Cristo (cerca 1472/1474, Gallerie degli Uffizi realizado com Leonardo da Vinci, que ainda era aluno e assistente na época, provavelmente no início dos anos 1470. Verrocchio geralmente adoptava uma abordagem colaborativa na pintura, empregando mestres mais jovens para realizar as suas pinturas a partir dos seus desenhos antes de chegar à finalização. Entre os artistas conhecidos ou que se acredita terem passado algum tempo no seu atelier estão nomes, como Leonardo, Botticelli, Domenico Ghirlandaio, Perugino, Lorenzo di Credi, entre outros. Uma abordagem colaborativa da pintura numa oficina do mestre não era nova na Itália renascentista, embora Verrocchio pareça ter organizado essa produção de pintura mais pormenorizada do que qualquer outro pintor. Verrocchio foi altamente considerado na sua vida como pintor, trabalhando para os Médicis e outros patronos exigentes, e foi elogiado pelos contemporâneos como a "fonte" da qual outros pintores bebiam ".

As suas contribuições para a história do desenho são especialmente magníficas. Treinado como ourives e pintor, ele uniu as técnicas de desenho das duas práticas e fez algo novo. Os seus desenhos com caneta e tinta têm uma vivacidade e liberdade sem precedentes, tanto que Leonardo e Rafael foram profundamente influenciados por ele. Os seus desenhos de giz preto e carvão têm uma nova subtileza na representação da luz e da forma; eles são talvez as primeiras imagens na arte italiana que exibem sem ambiguidade o “sfumato “- um tipo de efeito esfumado no sombreado, que ajuda a ampliar a aparente tridimensionalidade das formas. O “sfumato” tornou-se  uma componente fundamental da pintura e desenho de Leonardo.

A mostra é o primeiro acontecimento abrangente a apresentar as suas esculturas, pinturas e desenhos juntos como um grupo. Motivado por uma paixão pela investigação e inovação, Verrocchio mostra a fertilização cruzada que ele incorporou através da combinação de ideias e práticas da variedade de técnicas em que trabalhou. Entre essas importantes obras expostas pela primeira vez nos Estados Unidos, há três imagens de uma beleza ideal, criadas em diferentes técnicas - Senhora com flores (cerca 1475) em mármore e o desenho de giz preto, Cabeça de uma mulher com Cabelo entrançado (cerca 1475/1478), ao lado da Ginevra de 'Benci da galeria (1474/1478) de Leonardo.

A exposição reúne as esculturas de Verrocchio numa variedade de materiais, incluindo bronze, mármore, terracota pintada e sem pintura, terra crua (argila não cozida), gesso, prata dourada e ágata. Esta apresentação permite que o público veja a variedade não apenas dos materiais de Verrocchio, mas também da sua prática artística, desde esboços iniciais de composição rápida até trabalhos completos requintados. Entre as obras de escultura em exibição está a célebre estátua David com a Cabeça de Golias (cerca 1465, Museu Nacional de Bargello, Florença). Com a sua forma elegante, movimento tenso e gracioso e expressões faciais absorventes, pode ser a primeira estátua de Verrocchio em bronze e provavelmente foi realizada para Piero de 'Medicis, pai de Lorenzo, o Magnífico.

Um grupo de pinturas de Verrocchio está exposta na mesma sala pela primeira vez na exposição, excepto a Madonna di Piazza (1475/1485, Catedral de Pistoia, San Zeno) e o Baptismo de Cristo (cerca1468/1475, Gallerie degli Uffizi, Florença), oferecendo uma rara oportunidade de ver e entender o seu domínio como nunca antes se tinha conseguido. Várias das pinturas em exibição jamais tinham viajado para os Estados Unidos antes desta exposição, incluindo a Virgem e o Menino com Dois Anjos (cerca 1470/1474) e Tobias e o Anjo (cerca 1470) - ambos da National Gallery, Londres —Que mostra a colaboração de Verrocchio com Leonardo e outros assistentes na sua oficina.

A técnica altamente pessoal de Verrocchio e o seu estilo de representação no desenho exemplificam a relação entre escultura e pintura e retratam as suas combinações originais e experimentais de diferentes técnicas. Vários desenhos preparatórios para as suas esculturas e pinturas estão expostas na mostra, incluindo estudos de nus, animais, cortinas e monumentos funerários, assim como um de seus primeiros desenhos sobreviventes - Estudo da Virgem que adora o Menino (cerca 1470) .

 

Estudo técnico das obras-primas de Verrocchio

A investigação técnica da mostra foi realizada pelos conservadores da National Gallery of Art,  Dylan Smith, Robert H. Smith investigador e conservador de pesquisa no departamento de conservação de objectos, e Elizabeth Walmsley, conservadora sénior de pintura e cientista da National Gallery of Art e John K. Delaney, cientista sénior de imagens no departamento de pesquisa científica . Eles foram assistidos por uma equipa distinta de conservadores e cientistas de várias instituições internacionais. Os métodos modernos de análise permitiram que as pesquisas dos trabalhos de Verrocchio fossem realizadas com antecedência e nas suas respectivas instituições, fornecendo uma riqueza de novas observações que informam e enriquecem a exposição e o catálogo que a acompanha.

A pesquisa da National Gallery of Art inclui a primeira pesquisa abrangente da escultura de bronze de Verrocchio, combinando um cuidadoso exame visual, análise de ligas com espectrometria de fluorescência portátil de raios-x e radiografia. Além dos grandes bronzes apresentados na exposição, como David com Golias e o seu candelabro (1468/1469). A investigação do Túmulo de Cosimo de 'Médicis de Verrocchio (em 1467) e do Túmulo de Giovanni e Piero de Medicis (cerca 1470/1473) na Igreja de San Lorenzo, em Florença, oferece novas interpretações sobre esses notáveis monumentos. Também é dada uma nova investigação da técnica de fundição de Cristo, de Verrocchio, e São Tomás, de Orsanmichele. Consideradas juntas, essas novas observações oferecem uma compreensão mais clara dos métodos inovadores que Verrocchio usou para projectar e realizar os seus bronzes, assim como novas ideias sobre a sua cronologia, incluindo a proposta de uma data anterior para Putto com um golfinho (cerca 1465/1480 ). O tratamento de conservação de Putto com um golfinho de 2018/2019 foi financiado pelos “Amigos de Florença”.

Para a exposição, um grupo selecto de pinturas de Verrocchio foi intensamente examinado. Técnicas de imagem química e análise de pontos (fluorescência de raios X e espectroscopia de reflectância multi e hiperespectral) foram usadas para confirmar a paleta de Verrocchio e entender melhor o manuseamento e as técnicas de pintura. Foram consideradas duas interpretações distintas da Virgem e o Menino (cerca 1465/1470; cerca 1470/1472) da Gemäldegalerie em Berlim, assim como Tobias e o Anjo (cerca 1470) da National Gallery, Londres - todos eles estão expostos na mostra. Além disso, as máquinas fotográficas avançadas de imagem espectral infravermelha de alta resolução da National Galery of Art foram usadas para estudar Andrea del Verrocchio e o Batismo de Cristo de Leonardo da Vinci na colecção da Gallerie degli Uffizi. As imagens espectrais obtidas revelam diferenças entre as figuras em relação ao acumulação de tinta e ao uso de materiais que aprofundam a nossa compreensão sobre os métodos de trabalho dos artistas na oficina de Verrocchio.

 

Curadores de Exposições

A exposição teve a curadoria de Andrew Butterfield, um historiador reconhecido internacionalmente cuja monografia As Esculturas de Andrea del Verrocchio (Yale University Press 1997) ganhou o prestigioso prémio Mitchell. Os colaboradores incluem Gretchen A. Hirschauer, curadora associada de pintura italiana e espanhola, e Alison Luchs, curadora de escultura europeia antiga - ambas da National Gallery of Art, Washington; e Lorenza Melli, curadora do Corpus of Italian Drawings 1300–1500 / Roma-Munique-Florença. 

O artista Verrocchio e os seus alunos na mostra são o símbolo da arte renascentista da cidade de Florença. A escultura e pintura em geral herdeiras, através dos escultores e pintores italianos, dos essenciais elementos que lhe permitiram entroncar na fecunda arte do humanismo, da cor e da forma, está agora em Washington a reviver toda a sua pujança. 

Alguém duvida da imortalidade dos grandes mestres? 

Theresa Bêco de Lobo 

FESTIVOS

Dia da Mãe

Natal

Páscoa

Dia do Pai

Santo António

ARTE

Exposições

Museus

Colecções

História

Notícias

MODA

Alta Costura

Prêt a Porter

Tendências

Acessórios

Notícias

BELEZA

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

NOTÍCIAS

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

  • Instagram ícone social
  • Twitter Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon