Tesouros Principescos I Riquezas da Corte de Navarra no Séc. XVI

O Museu Nacional de Pau tem neste momento no seu museu nacional e recinto do Château, a exposição dos Tesouros Principescos – Riquezas da corte de Navarra no século XVI, local onde se podem admirar as riquezas artísticas que a casa de Albrecht herdou da casa de Foix com a coroa real de Navarra (1484), desprovida no entanto, da quase totalidade do dito reino ibérico. Com efeito, em 1464, Gaston IV de Foix-Béarn estabeleceu em Pau os seus aposentos reais. Encarregados da última das principais heranças da Idade Média, os mestres do lugar enriqueceram este conjunto que, no séc. XVI, se conservava nos castelos de Paul e de Nérac, suas principais residências, motivando sucessivos inventários. O inventário de 1561-1562, que conta mais de 1.300 referencias, demonstra que as colecções do Rei de Navarra rivalizavam em esplendor com as do rei de França.

Grandes amantes da ourivesaria, das jóias e dos livros, Henri d´Albret (1503-1555) e Marguerite d´Angoulême (1492-1549), filha do rei Franscisco I, transmitem a sua filha Jeane d´Albret (1528-1572) um património precioso, do qual esta disfruta com o seu marido, Antoine de Bourbon (1518-1562). Seus filhos Henrique IV (1553-1610) e Catherine de Bourbon (1559-1604), estão na origem da migração de numerosas peças deste tesouro para as colecções reais francesas, e para outras várias grandes colecções europeias, nos princípios do séc. XVII. A trasladação do Gabinete de Curiosidades dos reis de Navarra para Fontainebleau, em 1602, para preencher o dos Vallois, desaparecido durante as guerras da Religião, foi uma entrada decisiva para a conservação de este conjunto “in situ”.

O objectivo desta exposição não é a recuperação impossível de um património artístico, mas a apresentação de belos objectos relacionados com o mesmo: por exemplo, um jarrão “em pedra de Gave” do Museu do Louvre, a colher de ágata com o cabo em forma de sátiro do Museu Nacional do Renascimento /château de Écouen), o camafeu que representa Cristo agarrado por um anjo do Tesoro dei Granduchi de Florença o aquamanil de cristal de rocha do Museu do Louvre, apresentados pela primeira vez em Pau desde o séc. XVI.

As peças extraviadas do Gabinete dos reis de Navarra serão evocadas por obra da qualidade e importância muito similares presentes noutras colecções principescas (Lorraine, Grã-Ducado da Toscana…) inscrevem-se no mesmo contexto intelectual, artístico e político, rivalizando frequentemente com as grandes colecções reais.

Esta exposição, aberta ao público para celebrar os melhores dias da Primavera, está presente na continuidade da recente finalização das obras de restauro do pátio de honra do château de Pau, também acompanhará a abertura das novas realizações que se realizarão nos jardins e que se inspiram na época renascentista, espaço ideal para os dias quentes do Verão 2017.

Trata-se, pois, de um autêntico projecto palaciano que põe o acento tónico numa fase importante da restauração deste monumento francês.

As obras estão expostas nas grandes salas do rés-do-chão (sala dos Cent Couverts, sala dos Oficiais de serviço e antigas cozinhas) que estão ligadas às recordações históricas do monumento no período do Renascimento.

 

Os amantes do período renascentista bem podem descobrir como se deslocar até à Exposição onde cada peça é uma obra de arte a suspender a respiração. Automóvel? Combóio? Avião? Autocarro?

Pela nossa parte, escolheríamos a viagem de automóvel. É mais prática e, a dividir por quatro passageiros, que podem alternar na condução, é mais divertido.

De Combóio:

Lisboa/Hendaye pela CP – Sud Expresso a partir de Santa Apolónia

Hendaye/Paul – Combóio intercidades SNCF

 

De Avião

TAP – Lisboa/Madrid

Em Madrid, viajar de autocarro ou de combóio.

 

NOTÍCIAS DE PAU

Pau, está situada a 100 Km do mar (Oceano Atlântico) e 50 Km da montanha (Pirinéus).

Dista a 30 Km de Lourdes, a 110 Km de Biarritz -  a praia que recebeu um grande impulso enquanto Eugénio de Guzmán y Montijo foi Imperatriz dos Franceses. De Pau a  Toulouse e Bordeaux, são 110 Km.

A cidade é atravessada pela Gave de Pau, uma torrente de água procedente dos Pirinéus. Tem um inverno ameno e um verão muito prolongado.

A exposição é a cereja no bolo desta possível viagem.

 

Marionela Gusmão

Mostrar Mais

FESTIVOS

Dia da Mãe

Natal

Páscoa

Dia do Pai

Santo António

ARTE

Exposições

Museus

Colecções

História

Notícias

MODA

Alta Costura

Prêt a Porter

Tendências

Acessórios

Notícias

BELEZA

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

NOTÍCIAS

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

  • Instagram ícone social
  • Twitter Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon