Peças Extravagantes I Jóias e Objectos de Arte da Colecção Masterson

As Galerias de Rienzi, em Houston, apresenta uma fascinante exposição intitulada: “ Peças extravagantes: Jóias e Objectos de Arte da Colecção Masterson,” que surpreende não apenas pelo esplendor da sua arte, mas também pela qualidade das peças expostas, podendo-se admirar cerca de 100 exemplares, ao quais fazem parte do espólio deste museu.

A mostra patente de 18 de Novembro de 2017 a 4 de Fevereiro de 2018, apresenta um trabalho requintado dos principais joalheiros da Europa e da América, como a Casa Fabergé, a Fábrica de porcelanas Meissen e o designer de jóias de David Webb, entre outros do século XVII aos meados do século XIX.

Acerca deste evento, o director do Museum of Fine Arts, Houston, Gary Tinterow, disse: "Esta colecção de objetos extravagantes destaca uma história rica e diversificada, muitos deles com motivos exóticos criados com os melhores metais e pedras preciosas. Essas peças também representam excelentes demonstrações da expressividade artística e do domínio de técnicas antigas. Ao mesmo tempo, esta exposição oferece uma oportunidade, sem precedentes, para ver esses objectos no contexto das várias mudanças sociais e tecnológicas que impressionaram o mundo durante este momento crucial da história moderna. "

A Mansão Rienzi é propriedade do Museum of Fine Arts Houston para artes decorativas europeias. Originalmente esta casa pertenceu a Carroll Sterling Masterson e Harris Masterson III.  Rienzi compreende actualmente uma notável colecção de arte, casa e jardins. Durante quarenta anos, o casal Masterson coleccionou artes decorativas europeias, pinturas, mobiliário e porcelanas realizadas desde o século XVII até meados do século XIX.

Rienzi está situado junto do Museum of Fine Arts Houston nos quatro hectares de jardins arborizados na área histórica de River Oaks. Os jardins de Rienzi, projectados na década de 50 pelo célebre arquitecto paisagista Ralph Ellis Gunn, apresentam uma composição de jardins com florestas naturais do Texas.  Rienzi de Carroll Sterling Masterson e Harris Masterson III, foi projectada pelo célebre arquitecto de Houston, John Staub, em 1952. Aberto ao público em 1999, a mansão reúne uma enorme colecção de artes decorativas europeias, pinturas, móveis, porcelanas e miniaturas.

Rienzi, exibe duas vezes por ano, duas exposições temporárias com algumas peças da sua colecção de artes decorativas europeias.

A mostra: Peças Extravagantes: Jóias e Objectos de Arte da Colecção Masterson apresenta uma disposição fascinante, que reflecte os gostos eclécticos de Carroll Sterling Masterson e Harris Masterson III, os antigos proprietários de Rienzi.

Durante séculos, as peças de luxo, como jóias e objectos de arte, que eram criadas com materiais preciosos e exóticos, foram adquiridos pelos reis, aristocratas e colecionadores, muitas vezes para demonstrar status, riqueza, poder e gosto.

Desde objectos pequenos, pessoais e funcionais a acessórios decorados e esculturas extravagantes, estas criações reflectem a visão artística e inovações do seu tempo. As formas e funções destes exemplares e a decoração elaborada, ilustram mudanças nos costumes sociais e no desenvolvimento artístico ao longo de três séculos: desde o século XVIII ao XX.

A exposição: Objectos Extravagantes apresenta exemplos da Casa de Fabergé, da Fábrica de Porcelanas Meissen, do designer de jóias David Webb, da empresa de joalharia Oscar Heyman & Bros, do ourives Grant Macdonaldentre, entre outros.

 

David Webb

David Webb (1925-1975) era um designer e joalheiro americano, que fundou em 1948, a empresa David Webb, situada no 2 West 46th Street. Entre os seus clientes, salientavam-se Elizabeth Taylor, Jacqueline Kennedy Onassis e Barbra Streisand,  Helen Mirren, Jennifer Garner e Beyoncé.

Webb nasceu em 1925, em Asheville, Carolina do Norte, destacando-se como designer autodidata, cujo trabalho incluía pulseiras com dragões e outras peças com motivos animais. A partir de 1964, o Duque de Windsor também se tornou cliente de Webb comprando uma pulseira lindíssima para sua mulher.

 Diana Vreeland, notável colunista e editora do Harper's Bazaar e da Vogue e mais tarde directora do Costume Institute do Metropolitan Museum of Art, em Nova Iorque, era frequentemente vista com pulseiras em esmalte branco e preto de Webb.

O joalheiro para além da utilização de motivos de animais nas suas criações, inspirou-se muitas vezes na cultura antiga, da Grécia, Índia, Síria, África, Turquia e Peru.

Webb morreu em 1975, mas o seu negócio continuou e em 2010 foi comprado pelos joalheiros Mark Emanuel, Sima Ghadamian e Robert Sadian. O logotipo da empresa a partir desta data mudou então para a imagem de uma zebra.

Em 2013 foi publicado um livro sobre o trabalho de Webb: “David Webb: The Quintessential American Jeweler da autoria de Ruth Peltason e em 2014, foi apresentada uma exposição retrospectiva sobre a sua obra no Norton Museum of Art em Palm Beach.

Actualmente a empresa David Webb tem lojas emblemáticas na Madison Avenue na cidade de Nova Iorque e no Rodeo Drive em Beverly Hills, Los Angeles.

 

A porcelana de Meissen

A manufactura de Meissen foi a primeira fábrica a produzir porcelana de pasta dura da Europa. Foi desenvolvida a partir de 1708 por Ehrenfried Walther von Tschirnhaus. Depois da sua morte, Johann Friedrich Böttger deu continuação ao trabalho de von Tschirnhaus e começou a comercializar a sua porcelana. A fábrica era em Meissen, perto de Dresden e começou a sua fabricação de porcelanas em 1710, onde atraía artistas e artesãos que ajudaram a estabelecer uma das empresas de porcelana mais célebres, ainda existente, hoje com a denominação  Staatliche Porzellan-Manufaktur Meissen GmbH. A sua marca, com as duas espadas cruzadas, que foi introduzida em 1720 para distinguir e proteger a sua produção, é uma das marcas registadas mais antigas da actualidade. A fábrica de Meissen dominou o estilo da porcelana europeia até 1756.

 

Oscar Heyman & Bros.

A célebre empresa americana Oscar Heyman & Bros, foi fundada em 1912, tem as suas origens na oficina da Fabergé na Rússia, onde os irmãos ganharam inestimável experiência trabalhando com platina e criando ferramentas para o sector das jóias. Após a conclusão dos seus estudos em 1906, o irmão mais velho emigrou para a América para evitar o serviço militar. Oscar e Nathan, juntaram-se um ano depois ao irmão Harry em Nova Iorque. Cada irmão encontrou rapidamente emprego. Oscar Heyman foi contratado, em 1908, por Pierre Cartier para trabalhar na recém-criada oficina de Nova Iorque, tornando-se o primeiro joalheiro que não falava francês na Cartier.

Em 1912, os restantes três irmãos Heyman e três irmãs deixaram a Letónia para se juntarem à família em Nova Iorque e foi criada então a empresa Oscar Heyman & Bros., em Maiden Lane, na cidade de Nova Iorque. A família ficou orgulhosa do seu trabalho e criou um sistema autónomo de fabricação. Actualmente,  a firma ainda faz as suas próprias ferramentas, liga a platina e ouro e desenha e cria cada peça para atender às exigentes especificações.

A empresa Oscar Heyman & Bros ganhou celebridade pela sua atenção aos pormenores e à excelente técnica. Oscar Heyman & Bros., tem produzido peças para Cartier, Van Cleef & Arpels, J.E. Caldwell e Shreve, Crump & Low, além de vender as suas próprias joias através da loja da empresa. Oscar Heyman & Bros. teria sido a primeira empresa americana a dominar a técnica de configuração invisível iniciada por Van Cleef & Arpels em 1936. A empresa também se tornou conhecida pelas suas impressionantes peças florais e ganhou uma medalha de ouro no “Best in Show na New York World Fair” em1939, pela colecção de alfinetes com orquídeas, amor-perfeitos e gardénias. Em 1969, a Cartier solicitou à empresa Oscar Heyman & Co. A criação e produção de uma peça para o célebre diamante “Taylor e Burton”. Os projectos da firma reflectiam a afirmação de Oscar de que "a joalharia nunca deveria candidata a copias, mas apenas transcender o tempo, como uma pintura fina, sem perder seu apelo".

Desde 1912, que Oscar Heyman cria jóias requintadas para mulheres muito sofisticadas. A jóia Oscar Heyman mostra uma elegância impressionante com pedras coloridas e uma beleza excepcional para as mulheres que as usam. Cada peça é meticulosamente elaborada por artesãos americanos que utilizam técnicas europeias transmitidas por três gerações desse negócio familiar. O resultado é um legado duradouro de design de qualidade de herança que realmente transcende o tempo.

Hoje, a empresa continua a ser administrada pela terceira geração dos Heyman's, que continuam a criar as suas próprias ferramentas, em todos aspectos do design e da produção e ainda as várias patentes para técnicas de fabricação.

 

Peter Carl Fabergé

Peter Carl Fabergé (1846 - 1920) foi um joalheiro russo de origem franco-dinamarquesa. O seu pai era o joalheiro Gustav Fabergé e a sua mãe era a dinamarquesa Charlotte Jungstedt. Os antepassados paternos dos Fabergé eram originários da Picardia, que deixaram a França depois da revogação do Édito de Nantes. Estabeleceram-se inicialmente nas proximidades de Berlim, depois em 1800 transferiram-se para a cidade de Pernau na Livónia, (na época era parte da Rússia e hoje Pärnu, na Estónia).

Fabergé especializou-se na realização de peças com motivos florais e animais. Actualmente é mais conhecido pelos seus célebres ovos de páscoa, conhecidos como “Ovos Fabergé” realizados para a família imperial russa, os quais o czar oferecia anualmente aos seus familiares.

Criados para os czares russos, os “Ovos Fabergé” eram obras-primas do segmento da joalharia. Produzidos com a combinação de materiais como ouro, prata, cobre e platina através da utilização de técnicas de esmaltagem plique-à-jour. Esses ovos, hoje, são disputados em toodo o mundo, pelos principais coleccionadores.

 

Grant Macdonald

A filosofia de Grant Macdonald era produzir objectos raros, artesanais, com qualidade. Ao fundir técnicas antiquadas com a mais recente tecnologia de ponta, os designers e artesãos de Grant Macdonald transmitiram a verdadeira beleza nos materiais preciosos, criando objectos intemporais para serem desfrutados nas gerações seguintes. Esse artesanato intransigente desafia o mundo transitório de produção em massa de hoje e celebra a fabricação de peças exclusivas artesanais, em Londres. Grant Macdonald detém a Royal Warrant como Goldsmiths & Silversmiths para Sua Alteza Real O Príncipe de Gales e orgulhosamente exibe as Armas de Sua Alteza Real em reconhecimento desta grande conquista.

 

A exposição destaca o notável trabalho dos vários joalheiros, sendo que cada um deles estava ligado a um objectivo comum: proporcionar as mais luxuosas criações artísticas para sua a clientela.

 Privilegiando a estética, o arrojo e a criatividade, cada um soube encontrar o seu  caminho de acordo com as suas convicções.

Estes artistas conseguiram associar-se às novas tecnologias e ao design, concebendo peças que se tornaram os ex-libris de várias colecções.

 

Theresa Bêco de Lobo

FESTIVOS

Dia da Mãe

Natal

Páscoa

Dia do Pai

Santo António

ARTE

Exposições

Museus

Colecções

História

Notícias

MODA

Alta Costura

Prêt a Porter

Tendências

Acessórios

Notícias

BELEZA

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

NOTÍCIAS

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

  • Instagram ícone social
  • Twitter Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon