Homem I Moda Jovem

Lacoste_011
Lacoste_101
Custo_182
Custo_250
Chanel_177
Custo_133
Lacoste_142
Custo_210
Custo_141
LOOK 20
MonclerGrenoble_037
Custo_266

Escrevemos, em tempos, que o vestuário, conjunto de peças vitais para a defesa do corpo, é o melhor exemplo da evolução do Homem. Sem dúvida!

Das peles, em bruto, usadas pelos homens das cavernas, ao vestuário e calçado da actualidade, vai um mundo de sucessivas transformações, avanços fabulosos e tecnologias revolucionárias.

O conservadorismo de décadas (fatos escuros de Inverno em tecidos quentes e fatos claros de linho e/ou alpaca de Verão) a marcarem o mesmo compasso, nasceram nas décadas de 70, 80 e 90 do séc. XX, os criadores que sem fazerem sombra aos modelos dos clássicos alfaiates (insubstituíveis!) contribuíram para que o aspecto visual do homem citadino se fosse modificando, de ano para ano.

Painéis de tendências, feiras de tecidos onde somos tão bons como os melhores, desfiles de Moda, já não são exclusivos do Mundo feminino.

Contudo, aos executivos a quem esta moda não é dirigida, continua a ser exigido um estilo requintado pois ainda é certo que “o hábito é que faz o monge”.

Um cargo elevado numa empresa, um médico, um advogado que não tenha cuidado com o visual, se nunca percebeu que o traje que veste lhe dá a aura que o protocolo, mesmo velado, exige, é alguém que passa por este mundo sem entender o papel que lhe cabe, pois a consideração entre eles e os seus interlocutores não é a mesma para um homem vestido a preceito ou um chamado “zé ninguém”.

Todos sabemos que a sabedoria não se mede pelo fato, mas que conta muito na avaliação, disso ninguém duvide.

Mais tarde, antes do Natal, escreveremos sobre MODA MASCULINA destinada àqueles que aprenderam com os seus pais como se deve apresentar um senhor, no escritório, na consulta, num jantar, numa festa…

M.G.