Ganga I ​​Revolução na moda I ​​Nascida para ficar

A ganga é um tecido de algodão sarjado, habitualmente com a cor do azul-indigo, que foi usada, durante longos tempos, no vestuário das classes mais modestas e, muito em especial, pelo operariado.

A história da ganga passa pela Itália e por França, até atingir os E.U.A.

A sua terra natal, é segundo os historiadores de tecidos, a cidade de Génova onde apesar de ser considerada a terra das matérias-primas da mais elevada categoria, também cedeu o seu talento ao fabrico da ganga. Posteriormente, em Nimes (França), a ganga produziu-se em grandes quantidades e há quem afirme que o termo “jean” é a corrupção da palavra francesa “génois”, isto é, genovês.

A criação dos “jeans” reporta-se à carreira de Levi Strauss, um aventureiro natural da Baviera que, certo dia, em Maio de 1852, partiu para a Califórnia à procura de ouro. As peripécias não tardaram em surgir e Levi Strauss, muito rapidamente, apercebeu-se da necessidade de possuir um vestuário sólido, criando assim as calças de ganga tingidas de azul-indigo. Mas, isso ainda não era o suficiente porque os bolsos encalhavam em tudo. Que fazer? Levi Strauss socorreu-se dos conhecimentos do alfaiate Jacob Davis, de Carson City, que lhe “vendeu” a ideia de reforçar os bolsos com rebites de cobre.

Strauss, de parvo não tinha um pêlo, e patenteou a invenção dos rebites nos bolsos e os conhecidos pespontos duplos, cor de laranja.

No princípio do séc. XX, a esta peça de roupa dava-se o nome de calças à “Cowboy”.

A moda do traje civil, em ganga, nasceu a partir do momento em que James Dean, ídolo do cinema de uma juventude que hoje já passou muitas décadas, surgiu nos “écrans” do cinema no filme “O Gigante” (1956) contracenando com Elizabeth Taylor, no qual sublinha a sua irreverência através do traje: umas calças de ganga.

Mas, enquanto a juventude masculina suspirava por usar umas Lewis (nome usado para definir estas calças), Pierre Cardin que nessa fase e muitas outras que se lhe seguiram, estava no topo da moda, chamava-lhes “calças de trabalho operário”.

Yves Saint Laurent, um criador insubstituível, que teve a má sina de encontrar na sua vida um homem que tudo fez para o destruir, servindo-se do que ele ganhava e fazendo-se passar por bonzinho, disse à autora deste texto: gangas, não, são de muito mau gosto e revelam muita grosseria.

No mundo da moda, todos os grandes costureiros que amam o belo, a elegância e o chique condenaram as peças de ganga evidenciando-lhes os defeitos: grossas, hirtas, facilmente desbotáveis e sem criatividade.

No entanto, a irreverência de James Dean (que foi um ídolo) e os contestatários de Maio de 68 elevaram os “jeans” à categoria de peça de moda (a princípio marginal), mas hoje aceite por quase todas as classes sociais).

Para esta onda que se alastrou pelo mundo muito contribuíram, nos Estados Unidos da América, o criador Calvin Klein e a conhecidíssima Gloria Vanderbilt, que apostaram em colecções feitas de gangas.

Na Europa, Giorgio Armani na sua ganância dos milhões, entrou nessa moda e após a morte de Versace, que odiava tal tecido, foi feito aquilo que hoje conhecemos, graças a Donatella.

Actualmente, a ganga, tecido que ainda não entrou na Alta-Costura, continuando na 2ª. ou 3ª. linha de algumas marcas de prestígio, apesar da sua pouca maleabilidade e da sua histórica ligação a pessoas menos favorecidas pela sorte e, mais tarde, aos idealistas de uma certa liberdade esquizofrénica, ocupa um lugar tão cheio de Sol que não há peneira que a esconda.

A moda da ganga que apresentamos, muito adoçada com enfeites especiais, passando das calças para casacos e vestidos, será sempre um mau tecido, sem qualidade.

Marionela Gusmão

FESTIVOS

Dia da Mãe

Natal

Páscoa

Dia do Pai

Santo António

ARTE

Exposições

Museus

Colecções

História

Notícias

MODA

Alta Costura

Prêt a Porter

Tendências

Acessórios

Notícias

BELEZA

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

NOTÍCIAS

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

  • Instagram ícone social
  • Twitter Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon