Jean-Paul Gaultier I Calça&Casaco - Alta-Costura P/V 2017

Jean Paul Gaultier

Jean Paul Gaultier

Jean Paul Gaultier

Jean Paul Gaultier

Jean Paul Gaultier

Jean Paul Gaultier

Jean Paul Gaultier

Jean Paul Gaultier

Há quantos anos nos conhecemos meu amigo Jean-Paul Gaultier? Perdemos-lhe a conta? Não! Pela minha parte, tenho bem vivas, nas minhas memórias, os seus talentosos desfiles.

“Enfant terrible” da moda francesa, Jean-Paul Gaultier trabalhou com Pierre Cardin, passou algum tempo nos ateliers de Jacques Esterel , em 1974 trabalhou na casa criada por Jean Patou e num percurso meteórico onde entra o grupo da fabulosa Andrée Putman.

Em 1976, Jean-Paul Gaultier, com 24 anos de idade,  consegue concretizar o seu sonho – apresentar a sua colecção com a sua marca, nada menos que no Palais de la Découverte. Desde então nunca mais parou e a autora destas linhas durante anos seguidos viu os seus desfiles quatro vezes por ano, repartidos entre o Pronto-a-Vestir e a Alta Costura. Agora, acabou-se o Pronto-a-Vestir e tem todo o tempo do mundo para elaborar a colecção de Alta Costura com todos os pormenores.

Longe vai o tempo das suas colecções elaboradas em redor de um tema, como por exemplo: “James Bond” para o Inverno 1979-80; a subordinada ao tema “High-tech” (1980-81) e a que nos deixou de cabeça perdida em redor do “Dadismo” no verão de 1983, que foi publicada na TV Guia.

Jean-Paul Gaultier contou na passerelle com o talento da melhor manequim que alguma vez vi desfilar – Pat Cleveland – e agora tem como sua musa a filha de Pat, a Ana Cleveland. Mãe e filha, completamente à altura deste génio da mãe.

A luz-verde para a moda dos casacos-calça, propostos por Jean-Paul Gaultier, acende-se na fronteira entre a elegância e a criação. São estes conjuntos que irão invadir as zonas mais cosmopolitas, ávidas de emoções estéticas, que nos remetem para os Anos 20 europeus e os Anos 30 de Chicago (EUA).

Sem qualquer decalque na imagem masculina, os conjuntos de calça e casaco estão na “ordem

do dia, abrangendo um universo que passa pelas executivas, para quem o conforto é uma questão de equilíbrio. 

Não é o “fato” calças/casaco/colete ou sem colete, que confere ao homem a bravura ou a força viril.

Com a mudança, cada vez mais evidente, dos cânones estéticos, o dilema feminino entre a saia e a calça prende-se quase exclusivamente com a elegância do look total. Por exemplo, uma mulher forte com um conjunto calça/casaco pode ficar horrível, mas se o seu problema residir nas pernas demasiado gordas ou magras, as calças, ditas masculinas, ajudarão a disfarçar o que não deve ser mostrado. 

Os modelos que apresentamos repartem-se em traje de dia e traje sofisticado para “toilette” (cocktail ou noite). 

Uma moda muito ao jeito de Jean-Paul Gaultier, para vivermos ao nosso gosto. 

Marionela Gusmão     

FESTIVOS

Dia da Mãe

Natal

Páscoa

Dia do Pai

Santo António

ARTE

Exposições

Museus

Colecções

História

Notícias

MODA

Alta Costura

Prêt a Porter

Tendências

Acessórios

Notícias

BELEZA

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

NOTÍCIAS

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

  • Instagram ícone social
  • Twitter Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon