Crochet I Em Moda de Verão

Desigual

Adam Selman

Blugirl

Adam Selman

Adam Selman

Anna Kosturova

Adam Selman

Anna Kosturova

Philosophy

Ulyana Sergeenko

Fios de algodão, seda, linho; agulha de barbela em alumínio, osso, plástico, madeira ou aço, correspondente à grossura do fio; um desenho que demonstre capacidade inventiva; e muita destreza manual – eis o suficiente para executar em crochet, uma peça de vestuário à moda, criada por si, com a vantagem de ser única.

O crochet foi um lavor feminino, muito vulgar nos tempos em que poucas raparigas frequentavam os liceus e universidades e muito menos sonhavam com as maravilhas dos computadores. É um trabalho fácil, com base em malhas que se enlaçam, formando o cordão.

Os pontos podem ser baixos ou altos, fechados e abertos. Contudo, há várias espécies de crochet, a saber: simples, artístico e lérias. Os primeiros caracterizam-se por abertos e fechados; os segundos, podem ser em plano e em relevo; e os terceiros são feitos apenas com mates e malhas (laçadas), sempre iguais. Há ainda o crochet tunisiano – um compromisso entre o tricot e o crochet.

O crochet proposto pelos estilistas que escolhemos, originários de ateliers italianos, americanos e de países do leste europeu, de indiscutível prestígio, constituem uma boa fonte de inspiração para as leitoras mais prendadas (vulgo habilidosas) que sabem aproveitar em pleno as horas vagas.

Muitas peças que encontramos à venda, por preços acessíveis, são fabricadas na China e na Tailândia, mas a qualidade não é recomendável.

Já que estamos a recuperar valores perdidos que o façamos com bom gosto e perfeição.

 

Catarina Bacelar