TONGOBRIGA

No concelho de Marco de Canaveses, onde actualmente se localiza a freguesia do Freixo, existiu há cerca de 20 séculos uma cidade que a natural evolução dos tempos e a ausência dos conceitos de preservação histórica impossibilitaram a sua manutenção. Foi preciso chegar o final do século XIX, mais precisamente o ano de 1882 para o investigador vimaranense, Francisco Martins Sarmento descobrir um bloco granítico mencionando Toncobriga e assim despertar a curiosidade científica. Com o início dos trabalhos arqueológicos, a viagem no tempo teve o seu início revelando aquela que teria sido uma cidade de médias dimensões, com um aglomerado populacional de cerca 2500 pessoas estendendo-se por uma área de cerca de 30 hectares.

O brilhantismo desta urbe que, como as demais, desejava copiar o modelo que era Roma, a jóia do Império, a capital de uma civilização notável, está plasmado nos vestígios que têm sido colocados a descoberto.

Tongobriga terá sido construída entre os séculos I e II d.C. e para além da área residencial composta por um conjunto de edifícios habitacionais de planta rectangular com sistema de esgotos, e das necrópoles, pode-se identificar a existência de um Fórum no centro do qual se erguia um templo além de um teatro e edifício de termas. As características da cidade permitem entretanto deduzir que ali se desenrolava uma intensa actividade artesanal e comercial além de Tongóbriga ter representado muito provavelmente um importante papel estratégico na organização administrativa da região.

Este extraordinário património, que além das ruínas romanas apresenta os sinais de um anterior povoado proto-histórico localizado num pequeno outeiro, é um verdadeiro portal que nos lembra um passado de que somos herança viva. A completar a visita a exposição permanente coordenada pelo actual responsável, Dr. António Manuel Lima torna-se um lugar de obrigatória passagem, e o catálogo um apoio fundamental.

«Para uns, o romano seria uma fonte de admiração. Transformar-se num deles seria uma legítima aspiração pessoal. Para outros, uma inaceitável negação da sua identidade. Para outros ainda, apenas uma estranha forma de vida. Para todos, em duas ou três gerações, seria uma realidade. Em menos de um século, todas as resistências e inércias foram vencidas. E, do nascimento à morte, todas as etapas da vida foram impregnadas de romanidade».

Neste resto de Verão, uma visita a Tongobriga é uma proposta para toda a família de quem nos lê. É bom não esquecer o “slogan”: Há sempre um Portugal desconhecido que espera por si”. E há mesmo.

 

Ana Paula Timóteo

FESTIVOS

Dia da Mãe

Natal

Páscoa

Dia do Pai

Santo António

ARTE

Exposições

Museus

Colecções

História

Notícias

MODA

Alta Costura

Prêt a Porter

Tendências

Acessórios

Notícias

BELEZA

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

NOTÍCIAS

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

  • Instagram ícone social
  • Twitter Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon