ARITA e GUERLAIN l Em Exposição na Maison Guerlain em Paris

 

Até 7 de Janeiro do próximo ano de 2017, os nossos leitores que gostam de passar o Natal ou o Ano Novo em grandes cidades, têm agora a possibilidade de tomar contacto, na mítica Casa Guerlain nos Campos Elíseos, nº. 68, em Paris, com as porcelanas D’ Arita já que ali também se celebram os 400 anos de vida da fabulosa marca japonesa.

Situada na ilha meridional de Kyushu, Arita é considerada o berço da porcelana japonesa. Mundialmente famosa pelas suas peças delicadamente decoradas, Arita comemora os seus 400 anos de criação artística.

E, foi com grande entusiasmo que a Guerlain se juntou à Arita Porcelain Lab, para festejarem a longevidade excepcional da segunda, combinando os seus talentos para fornecer à primeira uma lindíssima e limitada edição de Mitsouko, fragrância criada, em 1919, por Jacques Guerlain, inspirado na heroína homónima do romance “A batalha”, de Claude Farrère.

MITSOUKO COMEMORA 400 ANOS DE PORCELANA DE ARITA COM UMA

EDIÇÃO EXCEPCIONAL E LIMITADA

Para comemorar o 4º. Centenário da porcelana d´Arita, o “atelier” ARITA PORCELANA LAB,  decorou o frasco em forma de coração assinado: Mitsouko, graças às suas técnicas tradicionais de excepção.

 

O FRASCO

Para esta ocasião especial, o frasco revela um motivo de Sol nascente, tradicionalmente sinónimo de "céu claro", especialmente utilizado para celebrar a boa sorte. Atravessado por raios fundentes, em todas as direcções, este padrão apresenta-se preenchido por símbolos da felicidade, motivos muito recorrentes na porcelana ARITA: a “paulownia”, sinónimo de elegância; a ameixeira, símbolo de vida; a peónia que destrói as ondas negativas; o crisântemo, evocativo da longevidade. Em suma, tradição e modernidade de mãos dadas.

 

O PERFUME

Muitas vezes descrito como "obra-prima de equilíbrio"

Mitsouko é uma referência entre os “chyprés”. Aroma para mulheres especiais, Mitsouko foi classificado por uma grande senhora, natural da Andaluzia, que viveu em Paris nos Anos 20, “como uma sinfonia entre os perfumes mais modernos” e num dos seus manuscritos, que guardamos religiosamente, cita Guy de Maupassant, em relação ao perfume Mitsouko esta frase:  “Já não sei se respiro música ou se escuto perfumes”.

Uma exposição única, no nº 68 dos Champs-Elysees, a mais famosa avenida da cidade de Paris.

 

A exposição exibe uma selecção de peças emblemáticas da famosa porcelana ARITA.

São cerca de 60 criações que impressionam o visitante através do diálogo entre património e criatividade e património e modernidade. As suas linhas de pureza impressionante, a delimitação geométrica, registada de modo intemporal, fazem de ARITA o encontro perfeito com a Guerlain, a mais nobre e tradicional casa de perfumes.

 

Nascido da imaginação de um artista e produzida pelas mãos experientes de um artesão, as criações d’ Arita são as guardiãs de um riquíssimo conhecimento da mais ancestral tradição. Sumptuosos potes, caixas preciosas, pratos delicados, entre outras peças, tal como sempre o Japão é a conciliação dos opostos: a fusão do antigo e do novo, criando a tradição, com a preocupação constante da oferta de arte para um objecto de uso, dando um nova dimensão à beleza. Através da grande diversidade de técnicas passadas de gerações para gerações que continuaram ao longo dos séculos a melhorar, para aumentar a riqueza dos seus padrões únicos, Arita porcelana é justamente  considerada a marca icónica da

porcelana japonesa.

ARITA, BERÇO DA PORCELANA JAPONESA

A  porcelana  d’Arita  é uma dos mais elaboradas e mais antigas do Japão.

A produção das primeiras peças, ditas Aritayaki, remontam a 1616; resultando da descoberta de uma mina de caulino na província d’ Arita, uma cidade da prefeitura Saga, situada na ilha de Kyushu, a sul de Tóquio.

Em meados do séc. XVII e meados do séc. XVIII, a Companhia Holandesa das Índias orientais importou muitas peças, de “porcelanas d´Imari”, nome do porto a partir do qual as porcelanas d’ Arita eram exportadas. A riqueza decorativa das porcelanas d’Arita, evocam o brocado e foi altamente valorizada pelas cortes europeias apreciadoras da sua exuberância barroca.

As criações em porcelana Arita, apresentadas na Exposição Universal de Paris em 1867, ( três anos depois das canhoneiras americanas terem aberto o Japão a todo o mundo), foram um grande contributo para o reconhecimento da arte japonesa em França e no resto da Europa.

 

Na exposição de 1900 , ARITA FOI GALARDOADA com o Grande Prémio pela criação do imponente Pote com tampa -  “Fukawa-Seiji”.

 O sucesso estendeu-se às famílias reais e à nobreza europeia alcançando segmentos endinheirados das populações. Muitos museus ocidentais, como o Philadelphia Museum of Art, nos Estados Unidos, possuem peças Arita nas suas colecções.

Em Paris, também se podem admirar algumas peças no Musée Cernushi.

Fukagawa Seiji, 1º prémio na Exposição Universal de Paris em 1900.

Marionela Gusmão

FESTIVOS

Dia da Mãe

Natal

Páscoa

Dia do Pai

Santo António

ARTE

Exposições

Museus

Colecções

História

Notícias

MODA

Alta Costura

Prêt a Porter

Tendências

Acessórios

Notícias

BELEZA

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

NOTÍCIAS

Perfumes

Tratamento

Novidades

Looks

Cabelos

  • Instagram ícone social
  • Twitter Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon