Pedro Carlos dos Reis I Um Escultor Romântico Esquecido

Estátua de Bocage, Setúbal

Estátua de Bocage, Setúbal

Estátua de Bocage, Setúbal

Baixos-relevos do Teatro da Trindade, Lisboa

Tabacaria Mónaco

Pedro Carlos dos Reis é um artista mal estudado na arte portuguesa do romantismo. Filho e neto de escultores, teve uma carreira longa, incompreendido e complexa. A sua obra integra-se nas linhas do romantismo, que nunca pretendeu abandonar. A sua produção foi vasta. Segundo relatos familiares, ele tentou o ensino mas foi preterido em sucessivos concursos, vivendo somente da sua actividade de escultor e ilustrador. 

 

As obras que nos chegaram revelam-nos um inegável talento, ao nível do trabalho na pedra e da madeira bem como do desenho – estudos e ilustrações para importantes publicações.

 

A estátua de Bocage, em Setúbal, inaugurada a 21 de Dezembro de 1871, emblemático monumento da cidade do Sado é a obra cimeira do artista. A escultura foi executada por Germano José de Sales, conhecido canteiro de Lisboa. Até meados do século XX a peanha tinha somente o nome do canteiro, a autoria era desconhecida A neta, Maria da Conceição Reis Gomes de Souza, conseguiu que o município setubalense inscreve-se o nome de Pedro Carlos dos Reis na base da peanha.

 

A estátua de Setúbal foi integralmente repetida no monumento ao poeta brasileiro romântico Gonçalo Dias em São Domingos do Maranhão, encomendada a Germano José de Salles. O nome do escultor está ausente dessa escultura.

Segundo a família, o canteiro de Lisboa usou sem autorização, inúmeras vezes, os desenhos de Pedro Carlos dos Reis para executar, ainda, largas dezenas de esculturas espalhadas por Portugal. 

 

O espólio de Pedro Carlos dos Reis preserva centenas de esboços e estudos. Destacamos os estudos para o monumento a Bocage, de inúmeras estátuas (figuras femininas ou masculinas sobre peanhas) e de baixos-relevos. A maioria são simples apontamentos, esboços rápidos, com indicações pormenorizadas e indicações técnicas para a construção das obras que criava. Os apontamentos gráficos incluem elementos estruturais como colunas e capiteis. Um estudo permitiu identificar algumas destas esculturas, não assinadas, nos cemitérios dos Prazeres e do Alto de São João. Muitos destes desenhos não se encontram assinados, outros como Pedro Carlos dos Reis ou Carlos Reis.

 

Entre os 154 desenhos sublinhamos os encomendados para “O Jacaré”, importante revista de sátira caricaturista, bem estudos para cabeças e de rostos, bem como de relevos e pormenores de jazigos. 

 

O traço destes desenhos é sempre leve, expressivo e rápido com forte modelação da luz e sombra, notando-se um interesse mais pela forma do que pelas modelações da luz e mancha.

 

Pedro Carlos dos Reis manda edificar um jazigo no Cemitério dos Prazeres, construção onde destacamos um alto - relevo da sua autoria. Trata-se de uma das suas melhores obras. O monumento viria a ser legado ao município de Setúbal, em 1978, pela bisneta Maria da Conceição Reis Gomes de Souza, encontrando-se em precário estado de conservação.

 

Obra identificada

Nos seus escassos apontamentos, preservados pelos bisnetos Maria da Conceição Reis Gomes, Maria de Lourdes e Manuel Reys Santos, observam-se as seguintes encomendas;

 

1. Busto de João José P. Calhau, Porto 

2. Busto de Alexandre de Campos, Braga

3. Quatro estátuas sacras para o Bucchardo, Lisboa, Cemitérios dos Prazeres

4. Estátua de São Pedro Apóstolo para o túmulo de Francisco António de Andrade, Cemitério do Alto de São João. Nos apontamentos pormenoriza-se que o “tamanho é de seis palmos”

5. Grupo representando a Caridade executado para a Igreja Matriz do Pernambuco, Brasil

6. Baixo-relevo do Santíssimo Sacramento para a fachada da Igreja Matriz do Pernambuco 

7. Quatro Evangelistas para a igreja anterior (no local)

8. Esculturas da Tabacaria Mónaco, em Lisboa, hoje classificada de interesse público 

9. Bustos para o Teatro da Trindade, em Lisboa, muito danificados pelo tempo

10 a 12. Três altos-relevos em pedra, destacando-se a “Batalha das Amazonas”, integram a exposição permanente do Museu de Setúbal.

Nos últimos anos, o acervo de Carlos Pedro dos Reis foi entregue ao Museu de Setúbal. A bisneta Maria da Conceição Reis Gomes de Souza legou, em 1978, um pequeno núcleo. Mais recentemente, em 2012, Maria de Lourdes Mota Guedes, viúva de Manuel Reys Santos, efectua a doação de um vasto conjunto de desenhos e esculturas, permitindo conhecer e estudar a obra deste relevante artista. 

António Brás