Postais Fotográficos de uma Nação em Mudança

01.

Imagem do Chinatown, San Jose, Cal., (1912 ou mais tarde). Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Créditos da imagem © Museum of Fine Arts, Boston. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo Postal de Leonard A. Lauder . Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

02.

Carro de Almoço Long's Place, (cerca de 1914). Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

03.

Electricista, a mulher que domina a electricidade, 1912. Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata em cartão Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

04.

Mercearia Gensmer & Wolfram, Portland, Oregon, 1913. Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

05.

Homens num Bar, (cerca de 1914). Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

06.

Lavadeiras, 1913. Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

07.

não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

08.

Circo na Feira de Bi-County, Union City, Indiana, (1917 ou posterior). Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

09.

Nadadoras em Saltair, Utah, 1918. Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

10.

Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

11.

Fotógrafo no Campo, (1907 ou posterior). Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

12.

Inundação no “H. H. Miller's Palace Sample Room”, Galena, Illinois, 1911. Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

13.

Turistas em “Mariposa Grove of Big Trees”, (cerca de 1914). Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

14.

Membros do “Just Government League” de Maryland, 1914. T. W. Stewart (Americano, activo no início do século XX). Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

15.

Votos para Mulheres, (1907 ou posterior). Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

16.

Sufragistas, (cerca de 1912). Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

17.

The Lions”, Scio, Oregon, 1907. Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

18.

Mary F. Mitchell a Alimentar as Galinhas, Wichita, Kansas, (cerca de 1912). Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

19.

A Greve está em Acção! Columbus, Ohio, 1910. Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

20.

A Professora na Sala de Aula, (cerca 1914). Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

21.

Sala de Aulas, Escola Indiana, Wittenberg Wisconsin, 1919. “The Northern Photo Company”. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

23.

Mulher com Flores, (cerca de 1914). Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

22.

Homem e Mulher num Automóvel, 1918. Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

24.

Talhante e o seu Filho, (cerca de 1914). Artista não identificado, americano, século XX. Impressão em gelatina e prata sobre cartão. Colecção Leonard A. Lauder Arquivo de Postais. Cortesia Museum of Fine Arts, Boston.

O Museum of Fine Arts, Boston (MFA), de 17 de Março a 25 de Julho de 2022, exibe a exposição:” Postais com Fotografias de uma Nação em Mudança”.

O espólio reúne mais de 300 obras extraídas do Arquivo de Postais de Leonard A. Lauder, que foi oferecido recentemente ao Museum of Fine Arts, Boston (MFA).  A mostra apresenta um novo olhar sobre o meio inovador dos postais fotográficos do início do século XX, que permitiu aos fotógrafos profissionais e amadores captar a vida quotidiana em algumas cidades americanas. As fotografias destes postais, que vão desde uma imagem dramática e trágica, à situação inexplicável e engraçada, mostravam esse momento da história com verdades reveladoras impressionantes sobre um país em rápida industrialização, imigração em massa, mudança tecnológica, e incerteza social e económicas.

Os postais fotográficos eram um fenómeno relativamente novo no início dos anos 1900. Foram inventados na Áustria e rapidamente espalharam-se por vários países, onde as fotografias se tornaram muito populares. As pessoas juntaram-se a clubes de coleccionadores de postais, e os anunciantes começaram a utilizá-los. Os artistas criaram os cartões comerciais. "O resultado era uma representação quase perfeita do que a sociedade estava obcecada, fascinada e preocupada", disse Ben Weiss, curador sénior da cultura visual no Museum of Fine Arts, Boston (MFA).

A mostra é acompanhada por um catálogo ilustrado, “Postais Fotográficos de uma Nação em Mudança, produzido por MFA Publications e da autoria de Lynda Klich e Benjamin Weiss,  Curador Sénior de Cultura Visual da MFA Leonard A. Lauder, com contribuições de Eric Moskowitz, Jeff. L Rosenheim, Annie Rudd, Christopher B. Steiner e Anna Tome.

Postais Fotográficos

Em 1903, no auge da loucura mundial pelos postais com fotografias, a Eastman Kodak Company revelou um novo produto: a máquina fotográfica de postais. O dispositivo expunha um negativo do tamanho de um postal que podia imprimir directamente num cartão em branco, capturando cenas com um detalhe extraordinário. Portátil e fácil de usar, a máquina fotográfica anunciava uma nova forma de fazer postais. De repente, quase qualquer pessoa podia realizar postais fotográficos, como hobby ou como negócio. Outras empresas seguiram rapidamente o rasto da Kodak, e em breve os postais fotográficos juntaram-se aos milhares e milhares de milhões de cartões impressos em circulação antes da Segunda Guerra Mundial.

"Os verdadeiros postais fotográficos trazem-nos de volta os emocionantes anos iniciais do fotojornalismo. A nova flexibilidade e mobilidade deste meio criou fotógrafos que captaram a vida no terreno à sua volta. Estes postais entusiasmaram-me particularmente porque aprendemos com eles, tanto a grande narrativa histórica como os pequenos acontecimentos que compunham o quotidiano daqueles que participaram nessa história", disse Leonard A. Lauder.

Os grandes editores de postais emitiam conjuntos que mostravam locais célebres de cidades de todos os EUA, como câmaras municipais, locais históricos e estações de correios. Mas os fotógrafos que andavam pelas ruas ou criavam estúdios temporários trabalhavam rápidamente e barato. Podiam correr um risco numa cena que poderia atrair apenas alguns, ou gravar um momento que de outra forma se teria perdido para a posteridade. À medida que a formalidade vitoriana da fotografia anterior se desmoronava, os interiores das lojas, os locais de construção, os destroços dos comboios e o facto de as pessoas quererem evidenciar-se começaram a aparecer em postais fotográficos reais - capturando a vida quotidiana em filme, como nunca antes.

 

Exposição

A exposição: “Os Postais Fotográficos de uma Nação em Mudança,” está organizada tematicamente, com reuniões de postais centrados em vários eventos e actividades que cativaram tanto fotógrafos profissionais como amadores - desde festividades públicas e desportos organizados até pessoas a trabalhar em profissões que vão desde operadores telefónicos a agricultores. 

“Muitos dos postais fotográficos transmitiam notícias locais - incêndios, inundações, explosões, comícios políticos, greves e desfiles - representando o jornalismo digital da nossa própria era. A exposição também apresenta uma vasta gama de retratos em postais, que eram baratos e acessíveis a várias pessoas. As categorias populares dos retratos dos postais incluíam trabalhadores a posar com as ferramentas do seu ofício ou pessoas a posar com adereços ou fundos de estúdio, sentados em luas de papel ou voando num avião falso ou balão de ar quente. Colectivamente, estes retratos oferecem uma visão rara de uma América moderna na sua elaboração - um retrato construído pelo povo, para si próprio. Os postais desta exposição são janelas preciosas, intrincadamente detalhadas,  há um século atrás. Ao explorar o Arquivo Lauder, seleccionámos e organizámos os postais com a esperança de transmitir uma medida da intimidade, que poderia vir de percorrer as ruas de uma cidade daquela época", disse Weiss.

"Alguns desses postais revelam a sua história em grande detalhe, enquanto outros são resolutamente mudos sobre quem os fez e porquê. Este é um dos prazeres de trabalhar com postais, e uma das coisas que fazem do Arquivo Lauder uma colecção tão inesgotável de histórias e mistérios", acrescentou Klich.

A mostra: “Postais Fotográficos de uma Nação em Mudança” é a terceira exposição retirada do Arquivo de Leonard A. Lauder, seguindo “A Arte da Influência: Postais de Propaganda da Era das Guerras Mundiais” (2018-2019) e “A época dos Postais: Selecções da Colecção de Leonard A. Lauder Collection” (2012-2013).

 

Arquivo de Postais Leonard A. Lauder 

A colecção mais abrangente de postais do mundo, o Arquivo de Postais Leonard A. Lauder foi oferecida ao MFA em 2010, migrando de Nova Iorque para Boston em parcelas anuais. O Arquivo, que contém mais de 110.000 postais, abrange a história do meio, desde o seu início como um humilde postal pré-pago em 1869, passando pela enorme loucura dos postais dos anos 1890 e 1900, até aos produzidos na Segunda Guerra Mundial. A colecção também inclui alguns postais da era da Guerra Fria e mais além. Entre os seus pontos fortes estão as imagens dos artistas das décadas em ambos os lados do inicio do século XX; postais publicitários; os chamados postais de profissões; postais associados à política e à propaganda; e postais de assuntos etnográficos, incluindo grandes grupos de cartões de África. A colecção inclui também um extenso grupo de postais - quase 15.000 - emitidos pela Detroit Publishing Company -  um espólio quase completo de postais desta importante editora de imagens da cultura americana.

A democratização da fotografia através dos postais proporcionou um olhar sobre vidas que de outra forma poderiam não ter sido captadas. 

Theresa Bêco de Lobo