2..jpeg

A 93.ª Cerimónia dos Óscares

Union Station, em Los Angeles, Califórnia 

25 de Abril de 2021

Passadeira Vermelha

1/2

Entrega dos Óscars 2015

1/3

Sala da Imprensa

1/2

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas entrega anualmente o mais conhecido e cobiçado prémio da indústria do cinema de Hollywood - o Oscar. Oferecido desde 1929, a honraria foi ideia de Louis B. Mayer, chefe do estúdio Metro-Goldwyn-Mayer (MGM). Desde então, os prémios acumulam recordes entre os seus vencedores (e também entre os perdedores). Marcas que entraram para a história do cinema, mas podem ser batidas a cada nova cerimónia.

 

Num ano atípico, a cerimónia mudou-se do Dolby Theatre para a Union Station, em Los Angeles. Sem apresentador formal e vários nomes passaram pelo palco, com a promessa de ligações em directo para os locais dos nomeados que não puderam viajar para os Estados Unidos da América.

Os Oscars foram entregues este domingo, 25 de Abril de 2021 num dos grandes salões da Union Station, em Los Angeles para permitir uma cerimónia segura no Covid, enquanto muitos nomeados no Reino Unido estavam reunidos em Londres. A maioria dos nomeados e vencedores compareceu pessoalmente à entrega. Outros apareceram por satélite de lugares como Paris, Praga e Sydney.

A cerimónia foi atrasada por dois meses devido à pandemia. Na Union Station, os nomeados caminharam por um tapete vermelho bastante vazio antes de se sentarem, com bastante distanciamento físico e sem máscara, num dos salões da estação.

O grande vencedor da noite foi o filme “Nomadland”, que ganhou os Oscars, como Melhor Filme, Melhor Realização (Chloé Zhao) e Melhor Actriz (Frances McDormand), que foi a estrela da cerimónia. Entre os vencedores, destaca-se ainda Anthony Hopkins, como (Melhor Actor pelo “The Father”, que também venceu o Melhor Argumento Adaptado) e Emerald Fennell ganhou o Oscar na categoria de Melhor Argumento Original, por “Promising Young Woman”, numa noite em que “Another Round, Dinamarca” foi escolhido como o Melhor Filme Internacional. Já o grande derrotado de uma cerimónia muito diferente das anteriores foi o esperado: “Mank”, que era o filme considerado mais nomeado, candidato em dez categorias, mas saiu da noite apenas com duas estatuetas, como a Melhor Direcção de Arte e a Melhor Fotografia.

 

Noite de Óscares, é também noite de glamour. E depois de um ano tão conturbado como o de 2020, o entusiasmo de assistirmos a uma passadeira vermelha tradicional, era tão desejada. Devido à pandemia mundial provocada pela Covid-19 os únicos que tiveram a oportunidade de passar pela passadeira vermelha e, posteriormente, ter um lugar marcado na cerimónia foram os nomeados e os apresentadores da noite. Foi uma passadeira vermelha mais concisa, mas nem por isso menos impressionante.

O dourado, tal e qual as célebres estatuetas dos Oscars, também foi uma das escolhas mais extravagantes da noite. A actriz Carey Mulligan vestiu um lindissimo modelo de Valentino Haute Couture em lantejoulas douradas. Andra Day, nomeada também para o Óscar de Melhor Actriz, vestiu um vestido dourado arrojado e assinado por Vera Wang. Já Vanessa Kirby, indicada para o mesmo prémio, apresentou um deslumbrante vestido rosa-claro da Gucci, com jóias Cartier.

E se as actrizes nomeadas para o Oscar de Melhor Actriz deslumbraram com vestidos glamorosos, mas a realizadora Chloé Zhao vestiu um vestido da Hermès e calçou, uns ténis. Foi a segunda mulher a vencer o Oscar de Melhor Realização com filme: “Nomadland” . 

A cerimónia contou com vários apresentadores, tais como Harrison Ford, Angela Bassett, Halle Berry, Reese Witherspoon, Zendaya e Laura Dern. Zendaya vestiu um modelo arrojado de Valentino em amarelo-fluorescente. Laura Dern impressionou com um modelo de penas de Oscar de la Renta.

Por outro lado, Reese Witherspoon apostou num vestido plissado vermelho da Dior, que lhe assentava na perfeição.  Regina King apresentou um modelo realizado pela Louis Vuitton com milhares de brilhantes aplicados e destacava-se pelos aparatosos ombros, que faziam lembrar as asas de uma borboleta.

A Passadeira Vermelha tornou-se mais curta e foi um primeiro regresso à normalidade com visuais elegantes, vaporosos e, na sua maioria, repletos de cor, com apontamentos de excentricidade pelo meio. 

Embora a gala dos Óscares seja uma grande noite de cinema, é também uma oportunidade para mostrar o melhor da moda e da costura.

Theresa Bêco de Lobo