Mulheres Pintoras I O Nascimento de um Combate 1780 -1830

Elisabeth Louise Vigée Le Brun Auto-retrato da artista pintando o retrato de Imperatriz Maria Feodorovna 1800 óleo sobre tela 78,5 x 68 cm São Petersburgo, Museu do Ermitage © São Petersburgo, Museu Ermitage

Adelaide Labille Guiard Retrato de Elisabeth-PhilippineMarie-Hélène De France, Madame Elisabeth (1764-1794) 1788 óleo sobre tela 80,7 x 64,2 cm Paris, depósito do museu do Louvre, Departamento de Pintura, com do museu do Palácio nacional Versalhes e Trianon, Versalhes © Palácio de Versalhes, Dist. RMN Grand Palais / Christophe Fouin

Marie-Nicole Vestier (mulher de Dumont) O autor em suas ocupações 1793 óleo sobre tela 54 x 44 cm Vizille, Museu da Revolução Francesa, domínio de Vizille, departamento de Isère © Todos os direitos reservados pelo Departamento de Isere

Marie-Gabrielle Capet Oficina de Madame Vincent em 1800 1808 óleo sobre tela 69 x 83,5 cm Munique, Bayerische Staatsgemäldesammlungen, Neue Pinakothek, Leihgabe des PinakotheksVereins © BPK, Berlim, Dist. RMN-Grand Palais / imagem BStGS

Augustin Pajou Portraits de Mesdemoiselles Duval 1er quart 19ème huile sur toile 130 x 97 cm Paris, musée du Louvre, département des Peintures © RMN-Grand Palais (musée du Louvre) / Stéphane Maréchalle

Adrienne Marie Louise Grandpierre Deverzy Oficina de Abel de Pujol 1822 óleo sobre tela 96 x 129 cm Paris, Museu Marmottan Monet © Marmottan Monet, Paris, França / Bridgeman Fotos

Julie Duvidal de Montferrier Auto-retrato óleo sobre tela 65 x 53,5 cm Paris, Beaux-Arts de Paris © Beaux-Arts de Paris, Dist. RMN-Grand Palais / imagem Belas artes de Paris

Louise-Joséphine Sarazin de Belmont Vista do fórum pela manhã óleo sobre tela 60 x 82 cm Passeios, Passeios Museu de Belas Artes © Museu de Belas Artes de Tours

Hortense Haudebourt-Lescot O Jogo da Mão Quente 1812 óleo sobre tela 75 x 100 cm Paris-La-Défense, depósito do Centro Nacional das Artes Plásticas, adquirido em 1813, na Tours Museum of Fine Arts desde 10 Fevereiro de 1942 © Domínio público / Cnap / crédito da foto: Yves Chenot

Marie-Joséphine-Angélique Mongez Teseu e Pirithoüs libertam duas mulheres de mãos de seus captores 1806 giz preto, branco, azul e ocre em papel marfim 59,5 x 75 cm Minneapolis, The Minneapolis Institute of Art, Fundo Richard Lewis Hillstrom © Minneapolis Institute of Art

Marie-Denise Villers (Nisa Villers), mulher O monge Presumido retrato de Madame Soustras laçado o chinelo dele 1802 óleo sobre tela 146 x 114 cm Paris, depósito do museu do Louvre, departamento Pinturas, no museu internacional de la Chaussure, Romans-sur-Isère © RMN-Grand Palais (museu do Louvre) / foto Maxime Chermat

Henriette Lorimier Retrato de François Pouqueville para Janina 1830 óleo sobre tela 91 x 74 cm Versalhes, Museu Nacional dos Castelos de Versalhes e Trianon © RMN-Grand Palais (Château de Versalhes) / Daniel Arnaudet / Gérard Blot

Cesarine Davin-Mirvault Morte de Malek-Adhel 1814 óleo sobre tela 198 x 270 cm Aurillac, Museu Municipal de Arte e Arqueologia d'Aurillac © Aurillac, Museu de Arte e Arqueologia

Jeanne Elisabeth Chaudet Retrato de mulher jovem 1811 óleo sobre tela 81 x 64,5 cm Paris, Galerie Michel Descours © Galerie Michel Descours

Aimee Brune Uma jovem de joelhos 1839 óleo sobre tela 116 x 89 cm Cidade de Orleans, Museu de Belas Artes © Orléans, Museu de Belas Artes © Christophe Camus

Isabelle Pinson O apanhador de moscas 1808 óleo sobre tela 39 x 30 cm Notre Dame (IN), Museu de Arte Snite, Universidade de Notre Dame. Doação do Dr. Paul J. Vignos Jr. © Coleção do Museu de Arte Snite, Universidade de Notre Dame

Hortense Haudebourt Lescot - Autoportrai

Constance Mayer Auto-retrato c. 1801 óleo sobre tela 116 x 89 cm Boulogne-Billancourt, biblioteca Paul-Marmottan - Academia de Belas Artes, Instituto da França © Fine Art Images / Bridgeman Images

Marguerite Gérard Artista pintando o retrato de um músico por volta de 1800 óleo sobre madeira 61 x 51,5 cm São Petersburgo, Museu Estatal Hermitage © akg-images / Album

O nosso fascínio pela História de Arte e por França vibra enormemente sempre que Paris nos oferece um acontecimento como este que encheu de visitantes o Museu do Luxemburgo, um velho palácio com um historial imenso que nos facilita a escrita de páginas de interesses que vão dos seus primeiros habitantes até a um oficial que ali viveu durante a ocupação francesa e teve como “correio canalha” uma grande figura da moda feminina que sempre soube viver explorando o talento dos outros como foi o caso do Duque de Verdura. Mas, isso para o mundo actual do Museu do Luxemburgo não passa de um curiosidade pouco digna. Para nós o que interessa divulgar é a grande exposição sobre as mulheres no mundo da pintura onde se pode falar de igualdade de género.

Esta exposição das obras de mulheres cuja vida foi o amor à pintura, destaca figuras gloriosas que desde 1780 até 1830 que marcaram na arte de bem pintar, algumas imortalizando-as.

Entre elas cabe-nos destacar Elisabeth Louise Vigée Le Brun, Labille-Guiard, Marie-Guilhelmine  Benoist, Marguerit Gérard, mas igualmente Pauline Auzou. Rosalie Filleul de Besnes, Marguerite Gérard, assim como imensas mulheres talentosas  no mundo da pintura.

A história de arte imortalizou muitas mulheres cuja carreira foi a pintura, mas todos sabemos que muitas outras caíram no esquecimento.

Façamos justiça a estas que conhecemos e que marcaram presença na exposição organizada no Museu do Luxemburgo.

A história de arte, graças a Deus, tem contribuído para imortalizar muitas personalidades femininas da pintura.

É evidente que nos tempos difíceis que atravessamos com a epidemia causada pelo COVID 19, se torna mais difícil organizar exposições da envergadura desta, o que nos leva a louvar todos quantos sem empenharam nesta árdua tarefa. Obrigada em nome pessoal de quem faz esta revista e em uníssono com os visitantes que ficaram maravilhados e mais enriquecidos com os conhecimentos que a mostra lhes facultou.

Na actualidade, montar uma exposição, é obra que exige grande fôlego pois cada mostra exige a sua cenografia e definir o seu espaço. Em suma, contar uma história, com um sentido de orientação da primeira à última sala e contribuir para que cada visitante entre ansioso mas saia mais enriquecido.

Nesta exposição limitada a partir de 1780 até à vivência de 1830 há algum combate? Evidentemente, que sim. É a luta das mulheres pintoras que exigem igualdade. Destas, as mais conhecidas foi Elisabeth-Louise Vigée Le Brun, cuja obra se impôs de tal modo que já foi tema de grande exposição monográfica no Grand Palais em 2015, na qual a autora deste texto marcou presença. Adelaide Labille-Guiard, admitida em 1783 na Academie Royale de Peinture, também encabeça a lista das nossas destacadas.

Não cabem nas páginas desta revista as histórias maravilhosas das mulheres artistas . Importa que o COVID desapareça depressa, que as fronteiras se abram livremente como sempre desde que nascemos, para podermos visitar o que de bom existe na museologia.

A autora deste texto, trabalhou alguns anos no Museu Nacional do Traje e recorda esses tempos com uma saudade infinita pelo muitos conhecimentos que foi somando àqueles que as frequentes idas ao estrangeiro  fizeram enriquecer a sua alma e o seu espírito.

Marionela Gusmão

Cartaz da exposição Pintores femininos 1780-1830 Nascimento de uma luta © Cartaz do Encontro de Museus Grand Palais nacional, 2021

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy

vista da exposição Pintores femininos 1780-1830. Nascimento de um lutar cenografia Loretta Gaïtis e Irène Charrat © Rmn-Grand Palais / Photo Didier Plowy