Caça  I  400 Anos de Bibliografia Portuguesa

Para muitos, caçar continua a ser, foi-o sempre, aliás, uma paixão incontida, como nos revela o livro “Caça, 400 Anos de Bibliografia Portuguesa”, da autoria de Nuno Sebastião, recentemente editado pela Scribe.

O seu autor juntou ao longo de duas décadas uma preciosa biblioteca - constituída por 567 monografias, 66 periódicos e 9 volumes de leis, decretos e alvarás.  

O acervo, que abrange um vasto período cronológico, de 1616 a 2018, tem praticamente todas as obras impressas entre nós sobre o tema, com excepção de 6 títulos que se preservam na Biblioteca Nacional e no Arquivo da Casa Cadaval, em Muge.

A completá-lo destaca-se, ainda, um conjunto  de gravuras, desenhos e aguarelas sobre caça, desde o naturalismo de D. Fernando II, passando por Raquel Roque Gameiro, Manuel Lapa, Álvaro Duarte de Almeida, João Agusto Silva, Francisco Charneca, terminando com o abstracionismo de Carlos Carneiro.

A obra resulta num magnífico volume, com atraentes fotos e design gráfico de José Luís Teixeira, colaborador da imagem gráfica desta revista e, posteriormente director de arte, cargo que detém há mais de 30 anos.

O catálogo tem uma introdução  excelente de Nuno Sebastião que nos permite acompanhar a constante evolução das vertentes bibliográficas, literárias, históricas, venatórias e etnográficas da actividade cinegética.

“É uma obra de uma riqueza cultural ímpar, independentemente de quem a consulte ser ou não caçador”, escreve no prefácio  Diogo Trigueiros de Aragão.

A.B.

CAPA RIGIDA .jpg