A Nova Loja Tiffany em Nova Iorque

Edificio da Empresa Tiffany com a Ampliação dos Últimos Andares. Cortesia Tiffany & Co.

Edifício ainda em Fase de Construção da Empresa Tiffany com a Ampliação dos Últimos Andares. Cortesia Tiffany & Co.

Edificio da Empresa Tiffany com a Ampliação dos Últimos Andares. Cortesia OMA New York.

Pormenor do Edifício da Empresa Tiffany com a Ampliação dos Últimos Andares. Cortesia OMA New York.

Edificio da Empresa Tiffany com a Ampliação dos Últimos Andares. Cortesia OMA New York.

A Nova Entrada do Edificio da Empresa Tiffany. Cortesia Tiffany & Co.

Interior da Loja Tiffany Decorada para o Natal durante o Mês de Dezembro de 2021. Cortesia Tiffany & Co.

Interior da Loja Tiffany Decorada com um Pormenor Influenciado na Joia “Bird on a Rock “de Schlumber. Cortesia Tiffany & Co.

Bird on a Rock de Schlumberger. Cortesia Tiffany & Co.

Uma Nova Decoração de um dos Espaços Interiores com inspiração na joia “Bird on a Rock” de Schlumberger. Cortesia Tiffany & Co.

Um dos Interiores da Loja Tiffany (3d rendering). Cortesia Tiffany & Co.

Um dos Interiores Novos da Loja Tiffany (3d rendering). Cortesia Tiffany & Co.

A Empresa de Jóias Tiffany & Co. é uma das primeiras e únicas casas de luxo da América. Com mais de 300 lojas a nível mundial, a sua influência é incomparável. Fundada por Charles Lewis Tiffany, o mestre que abriu, em 1837, o seu empório na Broadway 259 na cidade de Nova Iorque. Dez anos mais tarde, Tiffany mudou a sua empresa para a 271 Broadway, depois, em 1853, para a 550 a Broadway. Em 1853 e, em 1870, para Union Square e 15th Street. Três anos após a sua morte, em 1902, a companhia mudou-se para a Fifth Avenue e a 37th Street. Em 1940, a icónica loja emblemática Tiffany da Quinta Avenida abriu pela primeira vez as suas portas na 727 Fifth Avenue - uma mudança que ajudou a estabelecer a área como o distrito comercial de luxo de renome mundial que é hoje.

 

O edifício da Quinta Avenida foi concebido em 1940 pelo gabinete de arquitectura Cross & Cross. A loja de joias abraçou imediatamente a estrutura de sete andares como a casa permanente da Tiffany em Nova Iorque. A sua graciosa fachada de calcário, granito e mármore ancora o célebre relógio Atlas: uma estátua de nove pés de altura da figura mitológica que ombreia um relógio de aproximadamente quatro pés de diâmetro. O relógio foi inicialmente montado em 1853 acima da entrada da loja Tiffany na 550 Broadway antes de se mudar para a loja principal da Quinta Avenida.

A loja da Tiffany era um símbolo da arquitectura moderna quando foi construída em 1940.

 

Ampliação do Edifício da Tiffany

No início do ano, a Tiffany & Company mudou, após 80 anos, a sua loja da Quinta Avenida para um local temporário ao lado, enquanto o original na 727 da Quinta Avenida está a realizar a sua renovação. 

A Tiffany associou-se ao conhecido escritório de arquitectura OMA em aspectos seleccionados da transformação, incluindo um topo de três andares que substituirá o espaço de escritórios criados em 1980 por paredes onduladas feitas de um vidro inovador importado de Itália

O edifício da joalharia apresenta então a adição de vidro de três andares sobre o último andar do prédio existente. Este projecto foi concebido pelo Gabinete de Arquitectura Metropolitana (OMA) de Rem Koolhaas.

Acerca da nova edição no topo do edifício, o parceiro da OMA, Shohei Shigematsu, que lidera o projecto, disse: “A nova adição ocupa os pisos 8, 9, e 10, "estes espaços foram completamente reimaginados das áreas anteriores de escritórios, originalmente construídos em 1980, para uma nova zona de exposições de joias, eventos e espaços de clientes.” 

“O vidro ondulado foi importante para criar uma atmosfera de transparência e conseguir complementar a fachada histórica de calcário. A loja da Quinta Avenida da Tiffany, mais do que um espaço comercial, é um destino com uma dimensão pública. A nova adição é informada pelas necessidades programáticas da evolução da marca - um local de encontro que actua como contraparte contemporâneo do icónico espaço ao nível do solo e das suas actividades. O volume flutuante sobre um terraço proporciona uma indicação visual clara para uma viagem vertical de diversas experiências ao longo do edifício”, disse o arquitecto do atelier.OMA. 

Em 2019, a Tiffany iniciou uma transformação holística da loja emblemática que não teve lugar nos 80 anos de história do edifício. A grandeza e a essência do espaço majestoso permanecerão e continuarão a surpreender os clientes ao entrarem na loja renovada nos finais 2022 ou início de 2023. Uma experiência comercial de luxo evoluída, que atrairá novamente os consumidores para dentro e inspirá-los a viajar desde o andar principal até ao último andar, através do edifício.

 

A Tiffany associou-se ao conhecido escritório de arquitectura OMA em aspectos seleccionados da transformação, incluindo um telhado de três andares que substituirá o espaço de escritórios criados em 1980 por paredes onduladas feitas de um vidro inovador importado de Itália. Aparecendo como um volume transparente, como flutuasse em cima do edifício, a adição é um reflexo contemporâneo e original do edifício e dos seus tectos altos, com pormenores contemporâneos.

 

A entrada da loja é ornamentada com o padrão de folhas de trigo da Tiffany, reflectindo a profunda afinidade do joalheiro com a natureza. Dispostas em filas de aço inoxidável, o padrão distintivo da “Folha de Trigo” teve origem nas colunas da arquitectura clássica, influenciadas na Arte Deco.

O espaço enorme do piso principal de 8.400 pés quadrados era uma obra-prima de engenharia, quando foi construído em 1940, com o seu espaço sem colunas e um tecto de 24 pés, fixado por três estruturas de 106 toneladas, que atravessam o edifício paralelamente à Quinta Avenida. Em 1940 foi um dos primeiros edifícios comerciais em Nova Iorque a ser equipado com ar condicionado central.

OMA

A empresa de Arquitectura OMA -Office for Metropolitan Architecture, é um escritório internacional de arquitectura com escritórios em Roterdão, Nova Iorque, Hong Kong, Doha e Austrália. A OMA foi fundada em 1975 pelo arquitecto  holandês Rem Koolhaas. A firma é actualmente dirigida por vários sócios: Rem Koolhaas, e  Shohei Shigematsu, entre outros. Os arquitectos Rem Koolhaas, e Shohei Shigematsu são responsáveis pela renovação da loja Tiffany na Quinta Avenida. Para além deste projecto, o arquitecto Rem Koolhaas, projectou a Casa da Música  - a principal sala de concertos localizada na Avenida da Boavista, no Porto, em Portugal. Esta obra foi realizada, como parte do evento Porto Capital Europeia da Cultura em 2001 (Porto 2001), no entanto, a construção só ficou concluída em 2005, transformando-se imediatamente num ícone da cidade.

Interiores com Design de Peter Marino

A Tiffany & Co. ao renovar o exterior do edifício, encarregou os interiores ao designer Peter Marino. 

O célebre joalheiro, que é agora propriedade da LVMH Moët Hennessy Louis Vuitton, fez a renovação dos interiores com o arquitecto Peter Marino. A Tiffany fechou o icónico edifício de 10 andares em Janeiro de 2020 para iniciar os trabalhos de remodelação. (Com a loja fechada para construção, a parte comercial tem estado a operar a partir de um edifício adjacente). A pandemia causou atrasos, e agora não se espera que as obras estejam concluídas até ao Natal de 2022 ou início de 2023, aponta o relatório.

Com a mudança de propriedade da Tiffany, a renovação é agora supervisionada por Anthony Ledru, que foi nomeado CEO da empresa em Janeiro, e Alexandre Arnault, filho do presidente e CEO da LVMH Bernard Arnault e do VP executivo da Tiffany.

Acerca da arquitectura dos interiores, Anthony Ledru, CEO da empresa Tiffany, disse: “O espaço interior tem  o apoio de Peter Marino. 

Toda a parte interior foi projectada pelo arquitecto Peter Marino, onde parte da decoração foi inspirada nas joias Tiffany, como a peça “Bird on a Rock”.

Bird on a Rock

Depois de Schlumberger encontrar uma catatua amarela nos anos 60, foi inspirado a desenhar o pássaro num clip de pedra, uma das suas obras mais célebres, que continua a ser reencontrada com algumas das pedras preciosas de cor mais admiradas do mundo. A mais espectacular destas foi revelada em 1995, quando o já mencionado diamante Amarelo Tiffany foi colocado num clip Bird on a Rock, especialmente para a retrospectiva do Musée des Arts Décoratifs de Jean Schlumberger em Paris.

 

A loja principal da Quinta Avenida foi sempre um destino cobiçado por todos, desde figuras ilustres e celebridades a turistas e nova-iorquinos. Quase todos os presidentes dos Estados Unidos desde Abraham Lincoln foram clientes da Tiffany & Co., incluindo estrelas do palco e do ecrã, como Richard Burton, cujos presentes com jóias Tiffany melhoraram muito a colecção da sua mulher, Elizabeth Taylor. O andar principal serviu também como cenário para filmes como “Breakfast at Tiffany's” (1961) com Audrey Hepburn, “Sleepless in Seattle” (1993), e” Sweet Home Alabama” (2002).

Sobre a loja Tiffany da Quinta Avenida, Alexandre Arnault, filho do presidente e CEO da LVMH Bernard Arnault e do VP executivo da Tiffany, afirmou: “A célebre loja emblemática da Quinta Avenida tem sido um dos destinos comerciais mais procurados do mundo, há quase um século e, após a conclusão da sua transformação em 2022, continuará a inspirar o mundo a experimentar a magia que só a Tiffany pode oferecer”.

 

"A Empresa Tiffany & Co. na Quinta Avenida é indiscutivelmente um dos mais amados e bem conhecidos espaços comerciais de luxo do mundo", disse Reed Krakoff, o director artístico principal da Tiffany & Co. "É um lugar onde muitos têm memórias de momentos importantes nas suas vidas, cheios de emoção e de antecipação do extraordinário. A recém transformada bandeira da Tiffany irá reflectir o futuro da nossa marca, honrando ao mesmo tempo o nosso legado de 183 anos".

 

Theresa Bêco do Lobo